Web Blog  

sexta-feira, 24 de abril de 2015

O superintendente e sua equipe que se viram nos trinta para pôr ordem no trânsito de São Luís.

Nenhum comentário:
Antonio Silva, superintendente de trânsito e transportes.
A Superintendência de Trânsito e Transportes, órgão que compõe a estrutura da SMTT. Está sob o comando do Sr. Antônio Silva, dedicado e experiente em operações de trânsito e transportes.  

Com um efetivo 220 agentes, divididos em 4 turnos, Antônio Silva e sua equipe de agentes se viram nos trinta para cobrirem toda ilha.

Pelo Código de Trânsito Brasileiro, o papel desses agentes inclui inúmeras atividades.

A todo instantes, inúmeras ocorrências de trânsito chegam na SMTT, os rádios comunicadores das viaturas e dos agentes não param. São acidentes, engarrafamentos, obstruções, estacionamentos irregulares, atendimentos em frente de escolas, etc.

O prefeito e Canindé quando da entrega de viaturas para os agentes.
Além das orientações, os agentes agem agem no estrito cumprimento das normas de trânsito contidas no CTB (Código de Trânsito Brasileiro). "Em média 30 veículos são recolhidos e multados por estacionamento irregular. Em blitzes, de 50 a 60 veículos são recolhidos por problemas na documentação/habilitação. O prefeito e o secretário estão dispostos a oferecer mais estrutura para um melhor trabalho dos agentes.", informa o superintendente Antonio Silva.

Superintendente Antonio Silva mostra projetos prontos para
melhorar a mobilidade urbana. 
Na atividade de Engenharia e Intervenções no trânsito, o superintendente mostra vários projetos de mobilidade determinados pelo prefeito Edivaldo Holanda Junior e pelo Secretário da SMTT, o engenheiro Canindé Barros. Do São Francisco à Cidade Operária, os projetos mostram diversas intervenções no trânsito para proporcionar mobilidade num ilha entupida de veículos.

Não foi ameaça à equipe da TV Mirante, foi ameaça à imprensa livre.

Nenhum comentário:
No momento em que se preparava para exercer trabalho de imprensa em frente ao Presídio São Luís 3 – de onde fugiu ontem (23), pela segunda vez só neste ano, o detento Nilson da Silva Sousa, o Jornalista Marcial Lima e sua a equipe foram intimidados e ameaçados por agentes do Estado, armados com espingardas de grosso calibre. 

A intimidação atenta não só contra o trabalho da TV Mirante, mas atenta contra a imprensa livre. É inaceitável.

A imprensa e a população merece uma explicação sem arrodeios, por parte do setor de comunicação do Estado.

Tal atitude, é intolerância aos ruídos da TV Mirante, que vem noticiando fatos que merecem atenção das autoridades?.

Em discurso na abertura da 15ª Conferência Internacional Anticorrupção, a Presidente Dilma foi enfática: “É sempre preferível o ruído da imprensa livre do que o silêncio da ditadura”.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

No Maranhão, condenado a 5 anos de prisão tenta intimidar desembargador para manter filha que desviou recursos da prefeitura em apenas 15 dias no cargo.

Nenhum comentário:
Na tentativa de manter a filha como prefeita da cidade de Raposa diante de uma decisão débil do TRE-MA, que cassou o prefeito eleito do Município, o condenado a 5 anos de prisão, pai da prefeita Talita Laci vislumbrando a reviravolta do caso e, em ato orientado por seus advogados sem escrúpulos, tenta intimidar o desembargador e Corregedor do TRE, com factoides, para em seguida, tentar impedi-lo de atuar no julgamento do caso e protelar uma decisão definitiva.

RESTA AO DESEMBARGADOR DEFENDER SUA HONRA.

O verdadeiro objetivo de Laci e sua trupe é outro. Veja:

Thalyta Medeiros de Oliveira, conhecida no Município de Raposa pelo nome de Talita Laci, em apenas 15 dias que esteve à frente da prefeitura, cometeu vários crimes de desvios de recursos.

As provas apontam crimes graves:

1º Crime:
Desvio de R$ 138.438,20 através da empresa I.F. de Oliveira Comercio, CNPJ nº 13.950.906/0001-19, que não teria contrato ou prestação de serviços para a prefeitura de Raposa. 

2º Crime: 
Desvio de R$ R$ 74.340,50 através da empresa Settimus Empreendimentos e Serviços Ltda, CNPJ nº 18.046.504/0001-08, que não teria contrato ou prestação de serviços para a prefeitura de Raposa.

3º Crime:
Desvio de R$ 71.963,50 através da empresa M. Ricardo Rodrigues, CNPJ nº 19.110.951/0001-41, que não teria contrato ou prestação de serviços para a prefeitura de Raposa.

4º Crime:
Nos 15 dias em que Talita Laci esteve à frente da prefeitura, também desapareceram bens patrimoniais pertencentes ao Municipio. 06 computadores completos; 02 armários de aço; 01 nobreak de 1500vA; 05 impressoras multifuncional de marca HP, 01 aparelho de fax, 01 fricobar, dentre outros, sumiram!!!.

Os desaparecimentos dos bens foram levados ao conhecimento da polícia.

O pai Laci e a filha Talita desde dos fatos acima, mantém parceria com os Irmãos Campos (Vereador Alderico Campos e Fred Campos) e Edilázio Junior. Talita transferiu em um único dia via online mais de R$ 284 mil reais para empresas de fachada e que não prestam serviços para o Município de Raposa.

Com essa parceria, Talita acabou imitando o pai e praticando crimes, que poderão lhe render longos dias na cadeia.

Os crimes estão previstos no art. 1º, III, do DL 201/67:

I - apropriar-se de bens ou rendas públicas, ou desviá-los em proveito próprio ou alheio;

§1º Os crimes definidos nêste artigo são de ação pública, punidos os dos itens I e II, com a pena de reclusão, de dois a doze anos ...

Os fatos estão a demonstrar que Talita Laci praticou vários delitos de "DESVIAR BENS OU RENDAS PÚBLICAS". A pena pode ser aumentada em metade pela regras das legislações penais. Poderá ser condenada de 3 a 18 anos de prisão.

Enquanto o Ministério Público do Maranhão dormita e o TRE embarca numa armação, os recursos da prefeitura de Raposa $omem, $omem e $omem!!
  Web Blog  

OUTRAS POSTAGENS ABAIXO