quinta-feira, 28 de julho de 2016

O RECADO DE ELIZIANE GAMA PARA FLÁVIO DINO

Se tu não quer, tem quem queira 
Se tu não quer, tem quem queira 
Se tu não quer, tem quem queira 
Agora eu tô em outra, acabou a brincadeira 

A quanto tempo eu me dedicava a esse amor 
E você nada, e você nem aí 
Não tem como acreditar no que você me fala 
Só me enganava, só soube me iludir 

Não fui um nem dois 
Fui sempre 100% pra você 
Só você não conseguia ver 

Vou apagar nossas fotos 
Mas eu sei que vai doer 
Da vida vou excluir você 

Se tu não quer, tem quem queira 
Se tu não quer, tem quem queira 
Se tu não quer, tem quem queira 
Agora eu tô em outra, acabou a brincadeira 

Cansei de correr atrás de quem não me merece 
Cansei de correr atrás, ver se desaparece...

Mais músicas de Marcia Fellipe

O juiz, a adolescente que matou a mãe e o desejo de vingança da população.

Segundo a enciclopédia Wikipédia, o juiz (do latim iudex) é um cidadão investido de autoridade pública com o poder para exercer a atividade jurisdicional, julgando os conflitos de interesse que são submetidas à sua apreciação.

O que exerce o papel de juiz não é um super cidadão, pelo contrário, o juiz só pode andar na faixa traçada pela Lei, ou seja, dentro das atribuições estabelecidas pela Lei.

O ordenamento jurídico é a cartilha do magistrado. Ele está preso nisto. Não pode avançar para atender a sua vontade, ou a vontade da população.

Constantemente, a sociedade levanta sérios questionamentos sobre determinadas decisões de juízes sobre fatos horrendos que abalam a população. A título de exemplo, o recente caso acontecido em São Luís do MA, onde uma adolescente de 14 anos matou a própria mãe com ajuda do namorado de 16 anos.

A revolta da população foi tremenda! Ao ponto de populares desejarem estraçalhar os dois assassinos num linchamento público. Mas, impedidos pela segurança pública, agora exigem que algum juiz satisfaça o desejo de vingança.

As coisa não funcionam assim. O juiz está preso à processualidade, o dever de obedecer à ordem processual instituída pela própria população, através da lei, a fim de evitar a arbitrariedade, o tumulto, a inconsequência e a contradição. 

O juiz não pode executar essa vingança. Por isso, o juiz Reginaldo de Jesus Cordeiro Júnior, respondendo pela 2ª Vara da Infância e da Juventude de São Luís, cumpriu a Lei e aplicou o máximo que ela permite.

O caso ainda não foi julgado, e quando for a pena máxima é de 3 anos de internação. Cabe à mesma população mudar esta lei, através de seus parlamentares, para aplicar pena maior.

Estas são as verdades nuas e cruas da nossa ordem social.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Rádio do TJMA desponta em audiência e acessos.


Da Assessoria de Comunicação do TJMA

A Rádio do TJMA foi acessada 40 mil vezes no primeiro semestre de 2016

A título de comparação, em maio do ano passado, mês da inauguração da emissora, a Rádio Web Justiça do Maranhão foi acessada 834 vezes. No mesmo mês em 2016, houve 98.959 acessos, um crescimento de mais de 118 vezes na audiência. Em abril foram 105.296 acessos. Em junho, 104.741 acessos.Da Assessoria de Comunicação do TJMA

A Rádio Web Justiça do Maranhão foi acessada mais de 540 mil vezes no primeiro semestre de 2016, por meio do link direto no Portal do Judiciário, por aplicativo próprio em smartphones ou em sites que reúnem emissoras de rádio de todo o mundo. Em abril passado, a emissora ultrapassou – pela primeira vez – a marca de 100 mil acessos – num único mês – conforme os dados coletados do servidor IceCast2 para o servidor próprio da rádio.

Também na primeira metade deste ano, a emissora passou a ser ouvida em 95 países de todos os continentes. O Brasil lidera o número de acessos, seguido dos Estados Unidos, China, Japão, Rússia, Alemanha, Reino Unido, Coréia do Sul, Canadá e França, fechando as dez primeiras colocações.

No primeiro semestre de 2016, a rádio passou a transmitir – ao vivo – todas as sessões das câmaras e do Pleno do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA). A programação tem, ainda, notícias do Poder Judiciário maranhense, a cada meia hora, além dos programas “Entenda Direito”, “Ponto de Vista” e os musicais “Faixa Nobre” e “O Som dos Continentes”.

Palestras, seminários e flashes de inaugurações também foram incorporados à grade de programação da emissora, que já trazia campanhas e serviços oferecidos ao cidadão pela Justiça estadual divulgados nos intervalos entre músicas e noticiários.

A Rádio Web Justiça do Maranhão foi inaugurada em 13 de maio de 2015, pela então presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Cleonice Freire, na abertura de uma sessão jurisdicional da Corte.

O atual presidente, desembargador Cleones Cunha, deu suporte para a emissora continuar conquistando mais ouvintes, transmitindo informações de todo o Judiciário estadual da forma mais transparente possível.

Os aplicativos utilizados pela Rádio permitem que os programas sejam acompanhados pelo desktop, notebook, tablet ou celular, de qualquer cidade, estado ou país, em som limpo e de qualidade.

A programação é produzida e gerada em estúdio montado na Assessoria de Comunicação do Tribunal de Justiça, com o importante papel de aprimorar o intercâmbio de informações entre o Poder Judiciário e a sociedade, aproveitando o potencial da tecnologia digital para construir cidadania.

domingo, 24 de julho de 2016

EI! HOLANDA JUNIOR! O POVO DE SÃO LUÍS NÃO REELEGE MAIS PREFEITOS! COMEÇOU COM CASTELO. ENTENDEU OU QUER QUE DESENHE.

Edivaldo Holanda Jr ainda não acordou para a realidade. Em São Luís, a partir de João Castelo, a população resolveu não mais reeleger mal gestor como ele e Castelo. 

Edivaldo está servindo de joguete nas mãos de Flávio Dino, pois a prefeitura é um tipo de trunfo dos comunistas, que tem futuro político incerto. O candidato, na verdade é o governador. Holanda Junior é apenas um "laranja" a serviço do PC do B.

Holanda Junior, por incompetência, resolveu entregar a prefeitura para os comunistas do PC do B, ficando preso nas mãos de Flávio Dino que faz com ele o que quer. Pensa num prefeito perdido.

Na campanha, basta os outros candidatos mostrar que Holanda Junior, seria um "laranja" do governador.

"Laranja", porque se presta, conscientemente, a participar dos esquemas políticos do PC do B via Flávio Dino, se aproveitando da ingenuidade alheia.

Esse tipo de coisa é um atraso para São Luís, que precisa de um prefeito de pulso forte. Acham que Edivaldo Holanda Junior tem esse pulso?

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Promotora que denunciou irregularidades no MP sofre perseguição e pede socorro

A Promotora de Justiça, Lítia Cavalcanti (que atua na defesa do consumidor) vem sofrendo perseguição dentro do próprio órgão onde trabalha.

Não suportando mais perseguições que vem suportando mais de um ano, a promotora desabafou no Twitter, como se estivesse pedino socorro, dizendo-se vítima de uma perseguição sistemática ao seu trabalho, caracterizando “assédio moral”.

A promotora denunciou membros do MP nos casos Euromar e CPI da Exploração Sexual. Em relato ao Conselho Nacional do Ministério Público, Litia Cavalcanti expôs as razões de está sendo perseguida via “investigações fabricadas” pela Corregedoria Geral do Ministério Público do Maranhão. “Tudo que passo é somente uma retaliação de quem se acha acima da lei”, protestou a promotora.

Ela não revelou os nomes dos perseguidores para não dar brecha e argumentos para seus perseguidores.

Hipocritamente, a representação do MP do Maranhão se manifestou com uma nota citando exatamente as "investigações fabricadas" contra a promotora e cometendo o crime do Art. 325 do Código Penal  (Confira...).

Agora pasmem!!
O procurador-geral de justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho, no Seminário “Violência de gênero na sociedade contemporânea: como enfrentá-la?, realizado quinta-feira (21), disse que a cultura machista precisa ser combatida e transformada em uma nova postura em relação às mulheres, respeitando seus direitos em sua integralidade. Ele enfatizou, ainda, que, diante de um cenário desfavorável às mulheres em nosso país, a união de instituições é um caminho para fortalecer as ações de defesa do público feminino, especialmente das vítimas de violência. (Confira...)

Tudo isto, enquanto uma mulher membro do MP sobre tamanha violência de assédio moral.