segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Duzentos e dez prefeitos eleitos em 2008 foram cassados.

Pesquisa da CNM mostra a nova realidade política dos Municípios, o total de prefeitos cassados ou que trocaram de partido.

BRASÍLIA - Dos 5.563 prefeitos eleitos em 2008,383 não estão mais no cargo, de acordo com pesquisa divulgada nessa segunda-feira pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Segundo o estudo, do total de prefeitos que não estão mais no cargo, 210 foram cassados - 48 deles por fraudes na campanha eleitoral. Além disso, a pesquisa apontou que em 56 municípios dopaís, a troca de prefeito ocorreu por morte do titular, e oito prefeitos foram assassinados ou se suicidaram.

As cassações por infração à lei eleitoral representaram 22,8% dos casos de afastamento dos prefeitos. Os casos mais comuns incluem a tentativa de compra de voto, uso de materiais eserviços custeados pelo governo na campanha e irregularidade na propaganda eleitoral.

Já os atos de improbidade administrativa motivaram 36,6% das trocas. Além disso, 4,76% dos prefeitos deixaram seus cargos por causa de crime de responsabilidade, 17,62% porinfração político-administrativa e 2,86% por crime comum.

Os estados de Minas Gerais e do Piauí apresentamo maior número absoluto de prefeitos cassados. Em cada um desses estados, 29 prefeitos perderam o mandato após processo de cassação.Em segundo lugar vem o Paraná, onde 14 prefeitos foram cassados. O Ceará, Rio Grande do Sul e Santa Catarina tiveram 12 prefeitos cassados em cada estado.

A pesquisa foi feita a partir do cruzamento dedados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), das federações regionais de municípios e da própria CNM, com o objetivo dedetectar onde houve mudança de prefeito desde 2009. Depois, os pesquisadores entraram em contado com os municípios onde as mudanças ocorreram para saber dos motivos que levaram às trocas.