Compatilhar

quarta-feira, 30 de maio de 2012

E TADEU, O QUE VÃO PLANTAR SOBRE ELE? VÃO DIZER QUE ELE É CANDIDATO DO SARNEY. SE NÃO COLAR VÃO DIZER QUE ELE ESTÁ ENVOLVIDO NO ESQUEMA DO CACHOEIRA E POR AI VAI....


As frases acima foram captadas pelo blog numa conversa de bastidores de partidários da união das oposições em prol de São Luís.

O fato é que o crescimento de Tadeu Palácio nas pesquisas oficiais e não oficiais causa desespero no grupo de castelo, que começa a plantar notícias negativas para parar o crescimento do ex-prefeito.

Pelo o andar da carruagem, não basta tentar parar só Tadeu, é bom também se preocuparem com Edvaldo Holanda Junior,  Eliziane Gama, Roberto Rocha e até mesmo com Washington Luiz.

Tadeu, Edvaldo Holanda Junior, Eliziane Gama e Roberto Rocha não param de crescer nas pesquisas.

Tadeu Palácio, entre erros e acertos, inspira confiança por ser arrojado e determinado no que fala e faz. Ganhou vários prêmios como gestor municipal, principalmente pela gestão na educação e nos transportes coletivos.


Edvaldo Holanda Junior, apesar de jovem é dedicado e popular. Se assessorado por uma boa equipe técnica poder dar um bom prefeito.

Eliziane Gama vem ascendendo aos poucos. Com um trabalho mais voltado para as camadas sociais desassistidas, ela tem sua banda do eleitorado e vem crescendo.

Roberto Rocha vem ao longo de carreira tomando umas posições um tanto equivocadas, mas parece que encampou a idéia de que isolado ninguém conseguirá trabalhar e executar um projeto de desenvolvimento para são Luis. Ele tem posições bem definidas sobre a infra-instrutora do município. Tem perfil técnico e um bom eleitorado também.

Washington Luiz é uma incógnita, não consegue aparecer nas pesquisas. Tem 3 problemão: 1º. Seu próprio partido, o PT. 2º. O apoio da família Sarney. 3º. Seu perfil é fraco. Ele pode está confiante na estrutura do Governo.

Talvez a reabertura em junho de dois restaurantes populares em São Luís. Um na Cidade Olímpica e outro no Anjo da Guarda possa dar uma alavancada na candidatura de Washington.

Os Secretários Fernando Fialho (Desenvolvimento Social) e Luís Fernando Silva (Casa Civil), acabaram de assinar o contrato no valor de R$ 2,5 milhões.

Isto é crime eleitoral anunciado.

Encaminhem a postagem para o Ministério Público Eleitoral.
Dr. Marcilio Nunes Medeiros (Procurador Regional Eleitoral) marcilio@prma.mpf.gov.br
Endereço: Rua das Hortas, nº 223, Centro - CEP: 65020-270 - São Luís, MA
Telefones: 
2107-8764
2107-8763
2107-8766
 ACESSE TAMBÉM:

Governo esconde a realidade do país, classificando as classes sociais por critérios errados.














Em reunião aprovada ontem (29 - terça-feira), o ministro da SAE (Secretaria de Assuntos Estratégicos), Moreira Franco e o subsecretário de Ações Estratégicas da pasta, Ricardo Paes de Barros, com comissão de especialistas para avaliação dos critérios de identificação da chamada nova classe média, que representa 54% da população brasileira.

O critério usado foi o da renda. Famílias com renda per capita entre R$ 300 e R$ 1.020 estão nesta classe.

Dentro dela, foram definidos três subgrupos: a baixa classe média, com renda familiar per capita entre R$ 300 e R$ 440; a média, com renda familiar per capita de R$ R$440 a R$ 640; e a alta classe média, cuja renda familiar per capita fica entre R$ 640 e R$ 1.020.

A nova Classificação não representa nenhum avanço significativo é uma manipulação para dissimular um suposto desenvolvimento social.

O professor Jorge Cláudio Ribeiro, da PUC-SP, diz:



O conceito de classe média não se resume ao nível de renda, simplesmente. Nesse sentido, seria “forçar a barra” chamar esse contingente expressivo – são 30 milhões de pessoas – de classe média, usando apenas o critério da renda. E as classes sociais se definem por outros critérios, como a sua forma de ver o mundo, sua cosmovisão, sua atitude perante a vida, suas memórias, sua história. E esses são fatores um pouco mais qualitativos, que não foram pesquisados. Essa chamada “nova classe média” é nova, mas não é média, pelo menos do jeito como conhecíamos a classe média convencional, que desenvolvia e estimulava o esforço pessoal, que tinha um mundo amplo, tinha escolaridade tradicional na família. A nova classe média parece que está se restringindo, por enquanto, a fatores ainda referentes à situação anterior. Ela tem mais renda, mas continua “espiritualmente” a mesma. Pode fazer mais o que já fazia antes. Não houve ainda uma ruptura muito pronunciada. São pessoas que fizeram um esforço pessoal gigantesco, e que valorizam as realidades mais próximas de si.

Na realidade as classes sociais estão entrando é em declínio nos aspectos sociais, econômicos e principalmente político.

No Brasil só tem duas classes sociais:

1 – Os Dominados – representam 90% da população e vivem explorando uns aos outros;

2 – Os Dominadores – 10% da população vivem unidos em torno do recursos públicos para ficarem mais ricos.

Para frear o desenvolvimento dos dominados, os dominadores inventaram essa estória de políticas públicas para enganar bestas e alegrar famintos.


PARA ONDE VAI TANTA RIQUEZA?




COMO PODEMOS VIVER COM ISTO?



As proibições impostas a agentes públicos nas eleições:


Conduta
Punição eleitoral
Período
Propaganda eleitoral em informes oficiais
Inegibilidade por 8 anos e cancelamento da candidatura
Em todos os anos, sobretudo eleitoral
Propaganda Institucional
Suspensão da propaganda; multa de até R$ 106 mil; cancelamento da candidatura
Nos 3 meses que antecedem a eleição. (A partir de 7 de julho.)
Gastos com publicidade de órgãos públicos acima da média dos últimos 3 anos
Multa de até R$ 106 mil para agentes responsáveis e candidatos beneficiados; cancelamento de candidatura
Ao longo do ano eleitoral
Comparecimento de candidato em inaugurações de obras públicas
Cassação do registro de candidatura ou do diploma de eleito do candidato beneficiado
Nos 3 meses que antecedem a eleição. (A partir de 7 de julho.)
Fazer pronunciamento
em cadeia de rádio e televisão, fora do horário eleitoral gratuito
 
Suspensão do pronunciamento; multa de até R$ 106 mil e cassação do registro de candidatura
A partir de 7 de julho
Contratação, com recursos públicos, de shows  para inauguração de obras ou serviços públicos
Cassação do registro de candidatura ou do diploma de eleito do candidato beneficiado
A partir de 7 de julho.
Veiculação, ainda que gratuitamente, de propaganda eleitoral na em sites oficiais ou hospedados por órgãos ou entidades da administração
Suspensão da propaganda e multa de até R$ 30 mil
Em todos os anos, sobretudo eleitoral
Usar materiais ou serviços, custeados pelos Governos ou Casas Legislativas, para campanhas
Suspensão do uso dos materiais; multa de até R$ 106 mil e cassação da candidatura ou do diploma de eleito
Em todos os anos, sobretudo eleitoral
Fazer uso ou permitir, em favor de candidato,  distribuição gratuita de bens e serviços de caráter social custeados pelo Poder Público 
Multa de até R$ 106 mil e cassação da candidatura ou do diploma de eleito
Em todos os anos, sobretudo  eleitoral
Ceder servidor público para comitês de campanha eleitoral durante o horário de expediente normal
Multa de até R$ 106 mil e cassação da candidatura ou do diploma de eleito
Em todos os anos, sobretudo  eleitoral
Nomear, contratar ou demitir servidor sem justa causa; suprimir ou readaptar vantagens ou por outros meios dificultar ou impedir o exercício funcional e, ainda, emover, transferir ou exonerar servidor público 
Suspensão do ato ilegal; multa de até R$ 106 mil e cassação da candidatura ou diploma de eleito
Nos 3 meses que antecedem a eleição
Fazer revisão geral da remuneração dos
servidores públicos que exceda a recomposição da perda de seu poder aquisitivo ao longo
do ano da eleição
Suspensão do ato ilegal; multa de até R$ 106 mil e cassação da candidatura ou diploma de eleito
A partir de cento e oitenta dias antes da eleição, ou seja, a partir de 10 de abril
de 2012 até a posse dos eleitos
 Distribuição gratuita
de bens, valores ou benefícios por parte da Administração Pública, exceto nos casos de
calamidade pública 
Suspensão do ato ilegal; multa de até R$ 106 mil e cassação da candidatura ou diploma de eleito
Durante todo o ano de eleição.


terça-feira, 29 de maio de 2012

PAÇO DO LUMIAR: Pré-Candidato diz que que aproximação com Alderico Campos e Fred campos causaria prejuízos graves à sua imagem

Em Nota o Pré-candidato Josemar Sobreiro disse que os campos não são cidadãos do bem.

Disse que uma aproximação com a dupla colocaria seu nome em dúvida perante a sociedade.

Rejeitados até pela companheira de longas datas, os Campos andam batendo de porta em porta. Já foram procurar também o Pré-candidato Moraes. Este teria dito: "Cruz credo! Tá repreendido!".

Eis a Nota de Josemar:


CRIME ELEITORAL É ANUNCIADO EM PAÇO DO LUMIAR.


 - VOU FAZER O QUE PUDER!” - “VAMOS ELEGER PREFEITO E A MAIORIA DA CÂMARA DE VEREADORES”.

São declarações da prefeita de Paço do Lumiar para a imprensa ontem (28), cujo conteúdo fora divulgado no Programa do Gilberto Lima, na Rádio Capital a noite.

A garantia indica o uso da máquina (prefeitura) para beneficiar seus candidatos.

Para quem já cometeu crimes piores com desvios de recursos federais destinados ao Município, está pouco se lixando para regras eleitorais. A prefeita confia é no seu padrinho político. E sabe por que?.

Bia Venâncio disse: “Sarney Filho sempre me ajudou, sempre me protegeu!”.

A prefeita deixou claro que Sarney Filho é quem dar as cartas. Disse que foi visitada por Alderico Campos em sua casa dizendo ser contrário a candidatura de Adriano Sarney e se oferecendo para ser vice dela, ela disse não para Alderico e viajou imediatamente para comunicar a Sarney Filho.

E O ALDERICO CAMPOS?
É motivo de chacota.

SARNEY FILHO:"BIA ESTOU COM VOCÊ" 



8 VEREADORES. ISSO NÃO TE PERTENCE MAIS!


É Vereador Alderico! AQUI SE FAZ, AQUI SE PAGA.

Como presidente da Câmara ficastes contra a população segurando 4 denúncias graves de corrupção contra Bia Venâncio, agora ele meteu o pé na tua B.....

"Os acontecimentos fazem mais traidores do que as opiniões." (François René de Chateaubriand).

segunda-feira, 28 de maio de 2012

UM ROSÁRIO DE IRREGULARIDADES E CRIMES IMPEDEM BIA VENÂNCIO DE ENCARAR A POPULAÇÃO DE PAÇO DO LUMIAR

Bia justificou sua desistência  da releição dizendo "São muitos ataques infundados e mentirosos, denúncias sem provas. Eu sou a favor do embate no campo das idéias, e quando a gente tem como provar".

A prefeita não falou a verdade, sua administração é recheada de corrupção e desvios de recursos públicos.

Mais uma vez este blog mostra as provas de desvios de milhões de reais da Educação, de Convênios e da Saúde.

RECURSOS DESVIADOS DA EDUCAÇÃO:

 1º DESVIO COMPROVADO pela CGU (Aqui).
2º DESVIO COMPROVADO pela CGU (Aqui).
3º DESVIO COMPROVADO pela CGU (Aqui).
4º DESVIO COMPROVADO pela CGU (Aqui).
5º DESVIO COMPROVADO pela CGU (Aqui).
6º DESVIO COMPROVADO pela CGU (Aqui).
7º DESVIO COMPROVADO pela CGU (Aqui).
8º DESVIO COMPROVADO pela CGU - PARTE I (Aqui).
8º DESVIO COMPROVADO pela CGU - PARTE II (Aqui).

RECURSOS DESVIADOS DE CONVÊNIOS:

-R$ 13.677.909,00liberados irregularmente junto ao Ministério das Cidades para asfaltamento da cidade, comprovados em Relatório de Auditoria Fiscal Direta nº 0300/2010.


RECURSOS DESVIADOS DA SAÚDE:

R$ 10.930.258,29 desviados dos recursos enviados para aplicação na saúde dos cidadãos do município de Paço do Lumiar, conforme TOMADAS DE CONTAS ESPECIAIS ENCAMINHADOS AO TCU NO EXERCÍCIO DE 2010 (VEJA);

CONSTA NO RELATÓRIO DE AUDITORIA DO DENASUS DE Nº 10395/2011 E 10398/2011, que no período de janeiro de 2009 a junho de 2010 foram aplicados no mercado financeiro recursos destinados á Atenção Básica, de média e de alta complexidade, Assistência Farmacêutica, Vigilância em saúde e farmácia popular. As aplicações renderam R$ 215.785,57. Nos extratos obtidos pelo DANASUS,não consta a utilização desses recursos na saúde dos cidadãos de Paço do Lumiar.
O DANASUS constatou uma situação de calamidade da saúde de Paço do Lumiar. O que não se justifica pelo montante de recursos que recebe: R$ 9.806.805,08 apenas a título de financiamento do Fundo Nacional de Saúde, conforme Portaria

A prefeita é apadrinhada do Deputado Federal Sarney Filho, que agora convenceu a irmã, a governadora Roseana Sarney a assinar um convênio com a prefeita para tentar cobrir parte do que a prefeita deixou de fazer em razão do roubo dos recursos.

Os recursos desviados garantiram a Bia Venâncio no cargo até hoje, apesar de dezenas de processos por improbidades.

Quase todos os membros da imprensa local contam em lista de pagamento de propinas para silenciarem quanto a esses atos de corrupção. (confira:(Pag.1, Pag.2, Pag.3, Pag.4).
O montante de recursos envolvido no escândalo que inclui o Cacheira, Demóstenes Torres e outros implicados, não chega nem aos pês do total de recursos desviados em 2 anos em paço do Lumiar – Maranhão.

A situação chegou ao ponto do Movimento S.O.S Paço do lumiar representar o Governo Brasileiro Na Comissão Interamericana de Direito Humanos da OEA, por omissão. (CONFIRA- CLIQUE).

Formou-se uma quadrilha em torno dos recursos desse Município, resultando na morte estranha de um ordenador de despesas (AQUI), atentado a uma testemunha (AQUI) e ameaça ao autor deste blog (AQUI).

sábado, 26 de maio de 2012

Jornal Nacional mostra a escravidão no Maranhão.

Uma região do Brasil traumatizada pela violência no campo recebeu nesta sexta-feira (25) a visita da equipe do JN no Ar. O sudoeste do Maranhão tem os mais preocupantes índices de conflitos agrários no país.

O que mais chocou foi constatar que muitos trabalhadores são explorados como se fossem realmente escravos. Estamos no século XXI, e a abolição foi no século XIX. O trabalho escravo se insere em um contexto mais amplo de violência no campo, em que muitos trabalhadores vivem ameaçados de morte e amedrontados.

A primeira parada do JN no Ar foi em Imperatriz, no sul do Maranhão. De manhã cedo a equipe partiu para uma das regiões mais afetadas pela violência no campo. 

Em Buriticupu, no começo de abril, o sindicalista Raimundo Alves Borges foi executado a tiros por pistoleiros. Raimundo havia denunciado a ação de grileiros de terras. Seis suspeitos de envolvimento no crime estão presos. Um deles confessou que o bando receberia R$ 5 mil pela morte de Raimundo. A viúva dele, Raimunda dos Santos, teme, agora, pela vida dos filhos:
"Eles levaram meu marido e eu não quero que eles levem meus filhos.”

Segundo a comissão Pastoral da Terra, o Maranhão é hoje o estado com o maior índice de violência no campo. São 286 áreas de conflito pela posse da terra, sete pessoas foram assassinadas em 2011 e três em 2012; 106 estão ameaçadas de morte. A Pastoral afirma que nenhuma tem proteção policial.

Flávio Pereira, coordenador do Comitê de Políticas Públicas, ONG que luta contra crimes ambientais, é um dos marcados para morrer.

"A gente meio que não consegue dormir tranquilo. A gente não consegue ficar tranquilo na cidade, porque a sensação que temos é mesmo de impunidade", desabafa.

"Fazendeiros são mandatários do poder político local. É uma relação muito próxima com os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, o que dificulta muito a apuração desses crimes", afirma Diogo Cabral, advogado da CPT.

A violência no campo é agravada por outro problema. Açailândia é um foco de aliciamento de mão-de-obra para o trabalho escravo.
   
Na maioria das vezes, a fiscalização encontra os trabalhadores em fazendas de gado, áreas de desmatamento e carvoarias clandestinas. Os trabalhadores são submetidos a jornadas exaustivas.

Ficam presos a dívidas com os patrões porque são obrigados a comprar alimentos e remédios nas próprias fazendas. Muitos nem recebem o pagamento e são ameaçados por vigilantes armados. Ou seja, são trabalhadores vivendo, praticamente, em regime de escravidão.

Um rapaz, que pede para não ser identificado com medo de represálias, conta a história de um parente, assassinado há quatro anos, quando foi pedir ao fazendeiro para receber um pagamento atrasado:
"Uma das maiores dificuldades que ele tinha era questão na hora de receber, entendeu? Que foi o momento que ele foi falar com o fazendeiro para pegar o dinheiro pelo serviço e aí foram assassinados, tanto ele como o seu colega de trabalho".

O ex-trabalhador rural Bento da Silva conhece a realidade do trabalho escravo desde muito jovem. Caiu na conversa de um aliciador.

"Quando nós chegávamos lá, minha irmã, era outra coisa. Nós caíamos no escravo. Trabalhávamos 60, 90 dias", conta. Ele conseguiu escapar, mas, por necessidade, voltou a trabalhar nessas condições até ser resgatado pela fiscalização do Ministério do Trabalho, quatro anos atrás.


No Maranhão, de 1995 até hoje, a fiscalização conseguiu libertar quase três mil trabalhadores, mas é difícil punir os responsáveis por esse crime.

"Não é fácil entrar com ação na Justiça, o trabalhador muitas vezes tem medo", diz Nonnato Masson, advogado do Centro de Defesa da Vida.

Apesar das dificuldades, os trabalhadores resgatados conseguem encontrar caminhos para refazer a vida. O Centro de Defesa de Açailândia formou uma cooperativa para dar a eles a possibilidade de um trabalho digno. A ex-trabalhadora rural Elenilde Fernandes foi vítima do trabalho escravo. Acumulou dívidas com o patrão. "Quando a gente ia acertar no fim do mês, não tinha como, já estava devendo", lembra. Hoje, ela é marceneira, em uma cooperativa que fabrica móveis e brinquedos. "Eu acredito que vá melhorar ainda mais", sonha. “Hoje eu me acho no céu.”

O governo do Maranhão disse pela assessoria que repudia o trabalho escravo e que tem feito ações para combater essa prática. Disse também que criou há três anos uma delegacia agrária especializada para investigar crimes no campo, e que desde então os casos de violência têm sido investigados. Por fim, disse que desde o ano passado não recebeu nenhum pedido para proteção de trabalhadores e lideranças rurais ameaçadas de morte.

COMENTÁRIOS DO BLOG:

O Governo informa que "desde o ano passado não recebeu nenhum pedido para proteção de trabalhadores e lideranças rurais ameaçadas de morte".


Se a pistolagem matou o jornalista que trabalhava para a oligarquia, que de lá o pobre lavrador do Maranhão destituído de tudo, principalmente de segurança pública.



A reportagem mostrou a miséria em que o maranhão se encontra. Sempre mascarando esta realidade, a mirante produz reportagens mostrando outros contextos, menos as mazelas do Governo de Reseana Sarney. 



Eles para se manterem no poder já prometeram de tudo: "NOVO TEMPO", "NOVO GOVERNO DO MARANHÃO", "DE VOLTA AO TRABALHO".

Mas olha a realidade: O Maranhão é o Estado que tem proporcionalmente a maior concentração de pessoas em condições extremas de pobreza. Da população de 6,5 milhões de habitantes, 1,7 milhão está abaixo da linha de miséria (ganham até R$ 70 por mês). Isso representa 25,7% dos habitantes -mais que o triplo da média do país, que é de 8,5%.





A massa da população dopada pela ignorância e sem esperança aplaude concordando com o caos e sai por ai vagando como zumbis, sem direção, sem querer, sem reivindicação, sem perspectivas, sem vida. Os donos do Maranhão não deixam elas viverem.


Enquanto isto, a Família bem articulada com os demais poderes, expropriam as riquezas do Estado do Maranhão, deixando-o na situação que vimos na reportagem da própria emissora deles, obrigada a divulgar esta realidade por ser afiliada da Globo no Maranhão.



Para o Maranhão não existe sequer uma luzinha nem no fim do túnel, pois os que substituem os Sarneys no governo, já mostraram serem piores do que eles.



Até a consciência do maranhense é escravizada. É impressionante que até na capital eles são subservientes. Aceitam calados e se curvam para a oligarquia.



Essas não foram as unicas reportagens sobre a miséria no Maranhão:

Até o ex-presidente Lula que viu essa realidade se curvou aos donos do Maranhão.