Compatilhar

sábado, 30 de junho de 2012

Petistas luminenses declaram apoio a Josemar do PR


Atitude visa garantir a vitória do republicano além fortalecer a campanha dos vereadores da sigla e dos partidos aliados.
_____________________________________________________
Balbina, Josemar e Sidney... Aliança rumo à vitória

Num clima de muita descontração e principalmente concenso, o PT de Paço do Lumiar, decidiu por unanimidade em convenção ocorrida na manhã deste sábado dia 30, apoiar a candidatura do professor Josemar (PR) à prefeitura luminense.

O evento, bastante concorrido, contou com a presença da militância petista, além de dirigentes de vários partidos aliados ao projeto do PR e também do próprio candidato, que saudou a todos demonstrando o seu contentamento em ter o PT como aliado nessa que segundo ele, será uma grande e árdua jornada. Durante sua fala Josemar foi alertado que com o ingresso do PT na coligação a mesma passaria a contar com 13 partidos. Algo emblemático e que segundo os superticiosos trará sorte ao grupo que pretende governar o Paço do Lumiar pelos próximos 4 anos.

Já me sinto petista...

Melhores momentos da convenção petista luminense.



Todos os pré-candidatos a vereador pelo PT reafirmaram o apoio e a confiança na candidatura de Josemar.

Veja abaixo os pré-candidatos a vereadores do PT:
1 - Borralho
2 - Jean do PT
3 - Irmão Paulinho
4 - Biné da Pirâmide
5 - Braga de Iguaíba
6 - Zé João
7 - Irmão Batista
8 - Claudecy do PT
9 - Miécio do Pau Deitado
10- Leninha Monteiro
11- Concita da Pindoba
12- Paulo Marcelo
13- Ribamar do Alternativo
14- Alexandre

Fonte: Blog do Maxwell Guerra

OS TRES TEMPOS DA COMPOSIÇÃO DE PARTIDOS EM APOIO À JOSEMAR, O LANÇAMENTO DO GRUPO DA BIA E A CANDIDATURA DE NÚBIA DUTRA

De grão em grão, o já candidato Professor Josemar (PR) foi colecionando apoios, hoje já com 13 partidos unidos em torno de sua candidatura.


A composição foi feita em três tempos:

No primeiro momento 7 partidos acamparam a proposta do PR, foram eles:

PSL, PPS, PTN, PSOL, PSB, PMN e PP.

No segundo momento veio o apoio dos partidos PHS, PCB, PT do B e PT.

No terceiro momento veio o apoio de Manoel Ribeiro com o PTB.


O GRUPO DA PREFEITA BIA VENÂNCIO LANÇA ALMEIDA (PSDB) e DR. WILSON (PSDC), COMPUSERAM COM DEM, PSD, PV, PPL, PSC, PRP, PRB, 9 PATIDOS AO TODO.
 
NÚBIA DUTRA (PDT) COMPÔS COM O PC do B e PTC.





 Isolados, Gilberto Aroso (PMDB) e Moraes (PP sub judice) prometem entrar na disputa.

Este é o cenário político de hoje em Paço do Lumiar.

COM PACIÊNCIA DE UM ORIENTAL, O PROF. JOSEMAR ESTÁ CONSTRUINDO UMA CANDIDATURA FORTE.

Com seu jeito paciente ao estilo dos orientais, Josemar foi adquirindo forças e apoios de lideranças importantes no contexto político de Paço do Lumiar e mais lideranças vem ai.


O resultado pôde se ver no lançamento de sua candidatura. O discurso e o projeto de uma união para reconstruir Paço do Lumiar tem atraídos lideranças que tem o mesmo propósito.

Após demonstrar que acordos políticos serão cumpridos com aqueles que abraçarem a causa de reconstruir Paço do Lumiar, Josemar vem recebendo adesões a todo instante.

O que já pode ser visto no lançamento da sua candidatura.


















Ao entrar no local do evento o Professor Josemar recebeu uma a calorosa recepção da multidão que repetia a frase “Eu. tô com você Josemar, com muito orgulho, com muito Amor."


Leonardo Bruno presidente do PPS


O jovem Marconi Lopes candidato a vice em discurso.

Vereador Fernando Muniz em discurso






sexta-feira, 29 de junho de 2012

Envolvimento de autoridades com crimes exige uma intervenção ou uma CPI federal no Maranhão.


O pronunciamento do Secretário de Segurança do Maranhão revelando a existência de uma organização criminosa com pelo menos 10 anos que matou Décio Sá e atuando nos desvios de recursos públicos, assustou a população e faz lembrar o caso do assassinato de Ezir Souza Leite Júnior.

O jornalista Roberto Kenard relacionando os fatos, traz a lume e relembra quem são os protetores ou envolvidos na sujeira:

“Em pronunciamento duro na Assembleia Legislativa na terça-feira, 26, o deputado Raimundo Cutrim (PSD) disse que a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão poderia reabrir os casos que quisessem de quando ele era secretário de Segurança.

Bom, ninguém tem motivos para desconfiar do ex-secretário de Segurança e agora deputado estadual.

Mas há um caso que, se reaberto, poderá dar dor de cabeça a Cutrim. Trata-se do assassinato de Ezir Souza Leite Júnior, 22 anos, casado e pai de dois filhos, sequestrado no dia 13 de janeiro de 1995, em Imperatriz. Até hoje o caso não foi solucionado. As suspeitas, na época, recaiam sobre os irmãos Hassan Yusuf e Jamal.

É um caso escabroso que envolve os dois irmãos com ligações fortes com figurões da política e do Judiciário maranhense.

O assassinato chamou a atenção da imprensa nacional.

Com o assassinato do jornalista Décio Sá, o secretário de Segurança Pública do Maranhão, Aluísio Mendes, disse que o assassino Jhonatan em depoimento dissera que o deputado Raimundo Cutrim era um dos mandantes.

Alguns blogues disseram, então, que a polícia iria reabrir três casos não solucionados da época em que Cutrim era o secretário de Segurança, entre eles, o caso de Imperatriz. Daí o depoimento do deputado.

O atual secretário de Segurança diz que o caso será reaberto. O ex-secretário diz que não tem nada a temer. Bem, seria bom, então para todos que o caso fosse retomado. Resta saber se o Governo do Maranhão deixará o secretário Aluísio Mendes reabrir o caso. Eu tenho profundas dúvidas.

Vejam como a revista IstoÉ noticiou o caso na época:
O AMIGO LOBO SAI DA SOMBRA
Outdoors espalhados em São Luís (MA), Imperatriz (MA), Anápolis (GO) e Brasília fazem lembrar um crime brutal que muita gente poderosa no Maranhão tenta esquecer – e esconder.

Ezir Souza Leite Júnior, 22 anos, casado e pai de dois filhos, foi sequestrado no dia 13 de janeiro de 1995 por jagunços do armazém Nádia, maior concorrente de sua família nos negócios em Imperatriz.

Quatro dias depois, Ezir Júnior foi enforcado e enterrado numa cova rasa nos fundos de uma chácara.

 Apontados como mandantes do crime, Hassan Yusuf, dono do Nádia e de um império em fazendas e armazéns atacadistas, e seu irmão Jamal continuam tocando os negócios como se nada tivesse acontecido.

Eles estão certos da impunidade. A liberdade dos irmãos empresários é assegurada por amigos importantes no Tribunal de Justiça do Maranhão e também nos principais grupos políticos do Estado.

ISTOÉ teve acesso a oito fitas com o conteúdo de escutas telefônicas autorizadas pela Justiça e gravadas nos últimos meses. Elas mostram que a morte de Ezir Júnior esconde um crime que pouca gente quer ver solucionado.

Diálogos mostram que o secretário de Segurança Pública do Maranhão, Raimundo Cutrim, montou uma apuração paralela para impedir que a investigação chegasse em Hassan e respingasse no senador Edison Lobão (PFL-MA), amigo e um dos principais beneficiários de doações de campanha feitas pelo empresário.

Cutrim mandou até investigar os promotores de Imperatriz que cuidam do caso. “Não querem que cheguemos aos verdadeiros culpados”, afirma o promotor Luiz Muniz, ameaçado de morte.

Outros diálogos gravados mostram como Hassan, o rei do atacado no Norte e Nordeste, transporta cargas pelas estradas da região sonegando, subornando e alardeando a proteção de amigos influentes.

O caso, investigado pelas polícias federal, civil e militar, só tem uma pessoa presa até agora: o desempregado Raimundo Alves, o Guina, que cuidava da chácara na ocasião do sequestro e do crime.

Os “peixes grandes”, como são chamados nas fitas os demais envolvidos no assassinato, continuam soltos.

Renascimento – O esquema para acobertar os irmãos Hassan e Jamal só veio à tona porque Benito Miranda Muradás dado como morto “ressuscitou”. Benito, ex-capanga do empresário, foi aconselhado a desaparecer. Um corpo totalmente carbonizado foi reconhecido por Hassan como o do empregado. Benito, preso em Natal (RN), denunciou a trama aos promotores de Imperatriz.

Contou em detalhes como o sequestro de Ezir Júnior foi planejado por seus ex-patrões.

Um carro e duas armas de propriedade dos irmãos foram usados no sequestro. Benito acusou os Hassan e Jamal de serem sócios do ex-deputado estadual José Gerardo, preso e investigado pela CPI do Narcotráfico como cabeça de uma quadrilha de roubo de cargas e assassinatos.

Mas a rede de proteção aos “irmãos sírios”, como são conhecidos, é forte e influente no Estado.

AMIZADES INFLUENTES – Amigo da corte maranhense, Hassan é um dos maiores financiadores de campanhas no Estado.

Segundo o Ministério Público, contribuiu para as eleições de Edison Lobão, de sua mulher, a deputada Nice Lobão (PFL-MA), e da governadora Roseana Sarney.

Ele é amigo de Fernando Sarney, que cuida dos negócios da família do senador José Sarney (PMDB-AP), pai da governadora.

Hassan foi coordenador financeiro da campanha do prefeito de Imperatriz, Ildon Marques (PMDB), indicando até o vice da chapa, o filho do senador Lobão, Luciano.

Numa conversa recente, Hassan resumiu sua relação umbilical com o amigo: “Meu nome está ligado com o do senador. Qualquer besteira que eu fizer, vai sujar o nome dele.”

Hassan também é amigo do secretário de Segurança Pública Raimundo Cutrim.
O secretário, quando soube que Benito havia sido preso e que incriminara o amigo, despachou para Natal um delegado de sua confiança: Paulo Márcio Tavares da Silva. Um relatório reservado assinado por Geraldo Luiz de Albuquerque, chefe da Delegacia de Homicídios de Natal, denunciou a missão do delegado enviado de Cutrim.

“Sempre que o nome de Hassan Yusuf era ventilado”, diz o documento, “o delegado Paulo Tavares demonstrava falta de interesse em explorar o assunto.”

No início de novembro, Benito decidiu seguir o conselho que mais ouvia. Em depoimento a um juiz de Natal, sem a presença de representantes do Ministério Público do Maranhão, mudou a versão e inocentou Hassan.

Dois dias depois, fugiu misteriosamente do presídio de Alcaçuz, em Natal. Na verdade, durante o último mês, Benito foi mantido em cativeiro.

Na madrugada da sexta-feira 8, ele apareceu assassinado com 20 tiros.

No Judiciário maranhense, Cutrim também conta com aliados. As prisões de Hassan e Jamal, pedidas pela juíza Cleonice Nascimento, da 2ª Vara Criminal de Imperatriz, vêm sendo negadas pelo Tribunal de Justiça.

O desembargador José Pires da Fonseca, que concedeu habeas-corpus em favor dos irmãos, é tio de um juiz do Fórum de Imperatriz.

O próprio presidente do Tribunal de Justiça, Jorge Rachid, nomeado para o tribunal pelo então governador Edison Lobão, tentou transferir Benito para Imperatriz à revelia do Ministério Público. Ele conseguiu fugir antes.

“Hassan só está livre por causa das amizades com políticos, como Lobão, e juízes, como o presidente do TJ”, comenta Ezir de Souza Leite, pai de Ezir Júnior.
“Existe uma rede de proteção a Hassan. Lobão é muito influente na Justiça do Maranhão”, afirma o deputado federal Sebastião Madeira (PSDB-MA).

Vazamento – Raimundo Cutrim começou a vazar informações confidenciais sobre o caso e seus envolvidos para o ex-secretário de Segurança Pública no governo Lobão, coronel Guilherme Ventura.

Com muitos negócios em Imperatriz, onde preside o Sindicato Rural, Ventura passou a se empenhar para salvar a pele dos acusados, entre eles Francisco Machado Portela, o Dourado, apontado como agenciador dos sequestradores e braço direito de Hassan. Numa das conversas com Dourado, Ventura revelou seu trunfo.

– Falei com o Lobão e a coisa está resolvida. Inclusive o Hassan estava junto. Não posso falar mais por telefone, mas pode ficar despreocupado.

Depois da prisão do ex-capanga Benito, Cutrim e Ventura passaram a se falar diariamente. Numa conversa, Cutrim admitiu a culpa dos irmãos Yusuf e demonstrou sua preocupação com as investigações.

– O irmão (Jamal) tem (envolvimento). Eu acredito que ele (Hassan) soube depois. A campanha vai ser muito grande em cima do Lobão.

O coronel Ventura concordou:

– O mal já foi feito. O Lobão já foi atingido. A eleição (em Imperatriz) está perdida.

Suborno – Flagrado em animadas conversas ao telefone, algumas delas em árabe, o empresário Hassan fala da liberação de cargas, de suborno a fiscais rodoviários e explica a seus funcionários como se livrar da Receita, sempre com o conhecimento de autoridades maranhenses. Sua maior preocupação é com o posto fiscal em Estreito, na divisa com Tocantins, por onde passam mercadorias para o sul do país.

– Não dá pra passar esse creme dental? – pergunta Hassan, durante num telefonema.

– O que você quiser, chefe.

– Paga alguma coisa para o pessoal passar sem carimbar. Dá para cada um R$ 50, R$ 100…

As conversas misturam negócios ilícitos com as eleições municipais ocorridas em outubro último.

Em outro telefonema, também antes das eleições, Hassan diz que é preciso acionar os amigos para evitar que seus caminhões sejam parados no posto de Estreito.

– Cadê o João Alberto (Souza, senador do PMDB-MA)?

– quis saber Hassan.

– Não consegui falar com ele ainda – responde seu interlocutor.

– Tô estranhando. Como é que eu consigo falar com o Lobão a qualquer hora?

– Com você é diferente.

– Mês que vem tenho certeza que a coisa vai amolecer.

Acho que ela (a governadora Roseana) vai chamar a gente pra uma conversa. Ela vai lançar candidato próprio, do PFL, aqui (Imperatriz) e lá (São Luís). Se lançar, ela vai procurar a gente.

O senador Edison Lobão nega conhecer os negócios ilícitos do amigo e garante que nunca intercedeu em seu favor no caso Ezir Júnior.

“Se o Hassan teve participação no crime, deve ser punido”, recomendou o pefelista.

Cada vez mais próspero, e sem ser incomodado, Hassan continua morando em Imperatriz. Seu irmão Jamal cuida dos negócios da família em Anápolis.

A “turma do sírio”, como é chamado o grupo político que gravita em torno do empresário sob suspeita, continua assegurando seus mandatos, mas não como antes. Nas urnas, a memória de Ezir Júnior já fez diferença.

O prefeito Ildon Marques, mesmo apoiado por Hassan, perdeu a reeleição em Imperatriz. Foi derrotado pelo candidato do PT, Jomar Fernandes”. Finalizou o jornalista Roberto Kenard, citando a revista ISTO É.

No TJMA os acusados estão em boas mãos.


Pelo visto Cutrim vai gastar muita bala contra seus desafetos.

“Iria resolver de homem pra homem! Era na porrada, era na bala, era de qualquer jeito, mas eu mandar? Mandar, submisso? Quem manda é covarde, não tem coragem, rapaz! O Cutrim é macho e não manda ninguém. Não tira satisfação, quem quiser resolva de macho pra macho”.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

FIM DA FICHA LIMPA: TSE libera candidatura de políticos com contas de campanha reprovadas.

Por maioria de votos (4 X 3), o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta quinta-feira (28) reconsiderar a decisão que exigia dos candidatos às eleições a aprovação das contas eleitorais para a obtenção do registro de candidatura. Nesta noite, o julgamento foi concluído com o voto-vista do ministro Dias Toffoli.

Com a decisão, continuará sendo exigido apenas que o político apresente suas contas, sem necessidade de que elas sejam aprovadas, para que ele obtenha a certidão de quitação eleitoral, documento necessário para requerer o registro de candidatura.

A decisão foi tomada por 4 votos a favor e 3 contrários. A maioria foi formada pelos ministros Gilson Dipp, Arnaldo Versiani, Henrique Neves e Dias Toffoli.

As ministras Nancy Andrighi e Cármen Lúcia Antunes Rocha, bem como o ministro Marco Aurélio, mantiveram entendimento externado o dia 1º de março deste ano, quando defenderam que a reprovação das contas impede o candidato obtenha a quitação eleitoral.

“O candidato que foi negligente e não observou os ditames legais não pode ter o mesmo tratamento daquele zeloso que cumpriu com seus deveres. Assim, a aprovação das contas não pode ter a mesma consequência da desaprovação”, afirmou a ministra Nancy Andrighi ao declarar seu voto, no julgamento de março.


Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados aprovou em 22 de maio um projeto de lei (PL 3839/2012) que permite aos políticos conseguirem o registro de suas candidaturas mesmo com as contas eleitorais rejeitadas. O projeto foi aprovado com o apoio de todos os partidos, à exceção do PSOL.

A proposta seguiu para o Senado, onde ainda deve ser votada. Caso seja aprovada, só vira lei depois da sanção da presidente Dilma Rousseff. Mesmo que seja aprovada e sancionada antes do prazo final para o registro de candidaturas, a lei não deve ser aplicada ainda nas eleições deste ano.

Depois eles vão vão liberar os gestores federais, estaduais e municipais condenados por irregularidades na administração de recursos públicos. 

Pode esperar....

JÁ COMEÇOU: As Listas de inelegíveis entregue pelo TCE ao TRE e as entregue pelo TCU ao TSE contendo os nomes dos gestores federais, estaduais e municipais que cometeram irregularidades na administração de recursos públicos, estão encolhendo.


O Maranhão figurava em primeiro lugar com 537 gestores inelegíveis com 1.128 ocorrências de irregularidades na lista do TCU.

Agora o Maranhão só consta com 535 gestores inelegíveis e 1.099 ocorrências de irregularidades. (VEJA).

O campeão em irregularidades no Maranhão é o prefeito de PIRAPEMAS, ELISEU MOURA - PMDB)  consta em relação a ele Contas irregulares, débito, multa, arresto de bens, inabilitação para o exercício de cargo ou função. É condenado pelo TCU em mais de 19 processos.
Nome do Responsável
Processo
20631/2004-0
20592/2004-0
20597/2004-6
20637/2004-3
20590/2004-5
20588/2004-7
20611/2004-7
20638/2004-0
20609/2004-9
20620/2004-6
20532/2004-1
20632/2004-7
20595/2004-1
20527/2004-1
20627/2004-7
20582/2004-3
20585/2004-5
20524/2004-0
20584/2004-8
20626/2004-0
TOTAL: 20 PROCESSOS
Nesta mesma cidade, outra inelegível é MARIA SELMA DE ARAÚJO: (Clique).

A lista do TCE-MA entregue ao TRE-MA também já foi reduzida em 11 nomes, veja:
 E continua a redução..................

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Esquemas de corrupção envolvendo os Arosos e informações sigilosas levam Adriano Sarney a cair fora da disputa em Paço do Lumiar-Ma.

Após conversa com seus familiares, Adriano Sarney foi orientado a deixar a disputa em Paço do Lumiar.

O presidente do Comitê Metropolitano do PV, Adriano Sarney, foi informado de “coisas desagradáveis” que estão para ocorrer.

Adriano reuniu-se com a governadora Roseana Sarney (PMDB) e o deputado federal Sarney Filho (PV) e foi convencido a abrir mão da disputa.

Com a saída de Adriano, a prefeita Bia Venâncio (PSD) deverá lançar-se como candidata, embora já tenha desistido.