Compatilhar

terça-feira, 8 de outubro de 2013

AQUI, NEGROS, MESMO COM PRERROGATIVAS DE ADVOGADO SÃO AGREDIDOS. É O RESQUÍCIO DA ESCRAVIDÃO E DO RACISMO AO VIVO.

O advogado Hugo Aurélio Farias foi arbitrariamente preso por guardas municipais após questionar a forma com que os agentes públicos trat…avam um hippie na 7ª Feira do Livro de São Luís (FeLiS).Aproximadamente às 22 horas, já encerradas as atividades da Feira do Livro, minha esposa e eu retornávamos dos stands quando, na Rua da Alfândega, entre a Câmara Municipal e o Restaurante Antigamente, deparamo-nos com uma confusão envolvendo, de um lado, guardas municipais, e, de outro, um rapaz negro fransino que era comprimido pelos agentes contra as barraquinhas que ficam na calçada da casa legislativa municipal.Além da confusão em si, chamou-me a atenção o fato de que um dos guardas, em especial, insultava o rapaz de “FILHO DA P…”, mandando ele se “FU…”

Como se fazia antigamente nas ruas de São Luís, fizeram os guardas municipais. Prederam o advogado negro e passaram a conduzi-lo pelas ruas do Centro Histórico, no que foram seguidos por muitos populares indignados.

Um outro advogado começou a filmar a agressão e também foi agredido. "minha esposa e eu, que começamos a filmar o ocorrido. Já na Rua Djalma Dutra, atrás do Mercado da Praia Grande (Casa das Tulhas), UM GUARDA MUNICIPAL BATEU EM MINHA MÃO DERRUBANDO MEU CELULAR PARA QUE EU NÃO FILMASSE O QUE ACONTECIA. Então, passei a discutir com os guardas, questionei o fato de me haverem impedido de filmar e disse que os acompanharia até onde fossem com o rapaz", declarou o advogado Kristhian Heluy Gomes.
Uma administração como esta não pode ter uma guarda preparada, composta basicamente de gente frustrada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário