Blog do Edgar Ribeiro: CRIAÇÃO DO MUNICÍPIO MAIOBÃO É EQUÍVOCO E COISA DE INTERESSES POLÍTICOS.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

CRIAÇÃO DO MUNICÍPIO MAIOBÃO É EQUÍVOCO E COISA DE INTERESSES POLÍTICOS.

Compartilhe esta postagem!



Várias lideranças politicas do Maiobão começam uma campanha nas redes sociais para emancipação do bairro Maiobão, pertencente ao território de Paço do Lumiar.

Os interessados estão vislumbrando espaço político sem se preocupar com as consequências.


No dizer do Senador Cristóvão Buarque É um equívoco financeiro, um equívoco político e um equívoco do eleitor.

Os distritos para se emanciparem precisam provar que têm uma atividade econômica de sobrevivência para não viver ‘dividindo miséria’.

Já está difícil manter os municípios que já existem, imagine criar mais municípios.

Só serve para uma coisa: criar currais eleitorais sob domínio dos políticos que mandam e desmandam no Maranhão.

UM EXEMPLO

No Ceará emancipações não significaram bom negócio para a maioria das localidades. De 12 cidades cearenses criadas entre 1987 e 1992, sete estão na rabeira do ranking do Índice de Desenvolvimento Municipal (IDM), que leva em consideração aspectos sociais, econômicos e geográficos.

O balanço também verificou que 10 das 12 cidades avaliadas estão em pior situação do que suas antigas sedes. As exceções são Horizonte, desmembrado de Pacajus, e Deputado Irapuan Pinheiro, antigo distrito de Solonópole, que despontaram e, após conquistarem autonomia administrativa, conseguiram melhorar sua situação.

Na avaliação, O POVO considerou dados de 2010 da hierarquização dos municípios de acordo com o IDM, divulgada pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece).

Mesmo após mais de dez anos de emancipação, municípios como Ararendá, Barreira, Ererê, Miraíma, Ocara, Pires Ferreira e Tarrafas não conseguiram ficar entre as 100 mais bem posicionadas no IDM.
Pelo projeto aprovado no Senado, o requerimento para criação de municípios deve ser subscrito por, no mínimo, 20% dos eleitores da área que pretende se emancipar.

É exigido limite populacional mínimo: 70% da média na região Nordeste.

Também é preciso um estudo que comprove a capacidade do novo município para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, entre outras regras.

Levantamento feito pela Folha com auxílio do IBGE mostra que a maioria dos 595 municípios brasileiros criados desde 1997 nasceu com baixa qualidade de vida e até hoje se mantém abaixo da média dos Estados. E 570 dessas cidades não evoluíram a ponto de superar o atual Índice de Desenvolvimento Humano de seus Estados --o IDH considera renda, escolaridade e expectativa de vida.


Se ruim para o Maiobão, pior vai ficar.

Em próximas postagens vamos mostrar a situação dos municípios que se emanciparam de 1991 a 2000.

Deixe seu Comentário Aqui!