Compatilhar

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

ECONOMIA DIVINA: O novo motor financeiro mundial da economia:

A teologia da prosperidade serve como atrativo para que a vítima aceite um dos princípios criados pelo cristo cósmico Baha’u’llah, que é "A solução espiritual para problemas econômicos".

Nesse sistema financeiro chamado de “economia divina”, Baha’u’llah propõe uma época de prosperidade através de uma economia totalmente controlada por pulsos eletrônicos administrada pelo executivo mundial (o Anticristo), isso explica o pagamento de dízimos e ofertas através de cartões de débito ou crédito. A ênfase vai para o pagamento em crédito (dízimo e ofertas parcelados), pois esse será o novo motor financeiro mundial da economia.

A ORIGEM DESSA TEOLOGIA
Foi o pastor americano Kenneth Hagin (1917 —2003) que introduziu essa teoria no cristianismo. Tudo começou após ele receber a visita de um demônio se passando por Cristo que lhe ensinou as quatro etapas para a prosperidade. São elas: 1) Diga; 2) Faça; 3) Receba e 4) Conte.

A cosmo-visão dessa teologia acredita que existe um poder universal neutro e que nos obedece, segundo a nossa vontade, como descrito na etapa 1 da canalização que ele recebeu. A etapa número 1 é “Diga”. Positivo ou negativo, depende do indivíduo. “De acordo com o que o indivíduo disser, isso ele receberá.”

Realmente a nossa palavra tem poder através da fé, mas Yaohu é maior que nós e na vida real muitas vezes recebemos um “não” como resposta, pois a vontade do Criador é outra (Lucas 22 : 42). Se fosse assim tão fácil não existiriam pessoas pobres.

Kenneth Hagin se tornou um homem de prestigio e admirado por uma série de mega líderes evangélicos, porém seus ensinamentos foram recebendo várias coisas bizarras como a unção do riso no vídeo abaixo:



A evolução da teoria

Alguns mega pastores, inspirados em Kenneth Hagim, começaram a criar mais de 4 passos nessa teologia. Mike Murdock criou uma série de livros com sete etapas para ficar rico em vários livros cheios de apostasia.
Aqui no Brasil ele encontrou as portas abertas através de vários ministérios como o do pastor Malafaia e outros despreparados que jamais conversariam com uma pessoa comum. Para esse grupo somente os mega líderes americanos são considerados gente. As demais pessoas são apenas capital de giro para suas igrejas e sem direito de contestar os erros gritantes de interpretação. As massas populares também servem como massagem no ego de cada um, pois todos gostam de serem reconhecidos, exaltados e aplaudidos durante seus discursos inflamados (O pastor deputado Marcos Feliciano que o diga!). Hoje, eles chamam isso de "culto a Deus".

A teologia da prosperidade também introduziu conceitos da cabala, amuletos e outras coisas para que o membro da igreja abrisse a porta da riqueza. A venda de meias por 153 reais do Apóstolo Valdemiro da IMPD e o cajado abençoado do bispo Macedo são alguns exemplos. Quem não se lembra dessa frase imortalizada pelo bispo abortista? Abaixo temos uma aula do mestre da ganância aos seus pastores:

“Peça, peça e peça… ai eu perguntei quem é que gostaria de ter o cajado de Moisés. O povão disse euuuuuuuu é isso ai, você pode… Dez mil – entendeu pessoal (risos dos pastores)”.

Ainda temos a venda de CD’s e DVD’s por um preço muito maior em troca da tão sonhada vida abastada. Um exemplo de livros foi a venda de uma Bíblia comum pelo pastor Morris Cerullo por R$.900,00 que ficou muito conhecida pelo nome de “ a unção do nove”.

A teologia da prosperidade também acrescentou a teoria da cura em seus cultos. Ela surgiu através de um bombardeio de supostos milagres onde a igreja fica cheia e aumenta a possibilidade de mais ofertas, desafios e sacrifícios que só beneficiam seus mega líderes. Essa técnica é muito utilizada pelo Apóstolo Valdemiro, RR Soares e muitos outros. No caso de RR Soares, igreja cheia em busca de milagres representa mais vendas de TV por assinatura. O Apóstolo Valdemiro prefere investir seus lucros em gado, fazenda e mansões. Já o bispo Macedo investe mais nas suas emissoras de TV que apóiam a introdução do socialismo no Brasil pelo governo do PT.

A forma de interpretação da Bíblia

A técnica mais usada é o texto fora do contexto. Um versículo bíblico é usado de forma isolada e se transforma em um desafio ou oferta. Por exemplo, o Apóstolo Valdemiro interpretou o versículo abaixo convertendo as pessoas em peixe$, onde cada um lhe dariaR$.153,00:

”Simão Pedro subiu e puxou a rede para terra, cheia de cento e cinqüenta e três grandes peixes e, sendo tantos, não se rompeu a rede.” (João 21 : 11)

O pai espiritual de Valdemiro, o bispo Macedo, costuma usar uma passagem que fala sobre o boi que Gideão sacrificou para pedir todo dinheiro da vítima (Juízes 6:26).

Já o pastor Malafaia prefere fazer parcerias internacionais (Mike, Murdock, Morris Cerullo e outros), onde ele vira uma espécie de garoto propaganda, colocando a mão no fogo e exaltando ao extremo seus mestres.


E como não resistir ao sinal de Baha’u’llah implantado sobre a mão ou na testa? Devido ao narcisismo desses mega líderes, não duvide que em breve estarão por aí andando com uma estrela de nove pontas no meio da testa dizendo que isso representa os nove frutos –isso mesmo, frutos e não fruto - do espírito da prosperidade…

"Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;" (Apocalipse 3 : 17)

Fonte: Grandes Conspirações

2 comentários:

  1. Anônimo2.11.13

    Fale dos gestores que pegam o dinheiro do povo e não prestado conta. Por exemplo: a estrada de iguaiba até hoje não foi asfaltada, mas, a construtora recebeu o dinheiro do Raimundo filho quando estava prefeito de paco do lumiar e as ruas aqui continuam do mesmo jeito ou pior. Vc tem medo da construtora ou do Rdo filho? Os pregadores da palavra de Deus PEDEM da quem quer.

    ResponderExcluir
  2. Vc é tão covarde e medroso que para fazer um simples comentário se esconde no anonimato, coitado!. vc fala da Construmar que não construiu a estrada do iguaiba. Raimundo Filho que se vere com o angu que ele fez perante a justiça.

    ResponderExcluir