Compatilhar

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

QUIPE DA DIVISÃO DE LICITAÇÃO DO TJMA ATINGE META DE PRODUTIVIDADE TRABALHANDO EM SINTONIA E PLANEJAMENTO.


Com a incumbência de realizar todas as licitações e contratos referentes a compras e serviços da Escola de Magistratura, da Corregedoria Geral de Justiça e do Tribunal de Justiça, a Divisão de Licitação e Contratos – DLC teve a ótima notícia de que atingiu suas metas de produtividade no desenvolvimento de suas tarefas de acordo com o que fora planejado pelo Presidente, Des. Guerreiro Junior, no início do ano de 2013.

A Divisão de Licitação e Contratos é composta por duas frentes de trabalho: Equipe de Pregoeiros e Equipe de Contratos.  Na equipe de Pregoeiros estão Raulifran (chefe do setor), Allyson, André, Maurício, Kátia, Thiego e Jonnilson. Na equipe Contratos, sob o comando da Decana do setor, Sra. Laura, estão Joanna, Keila, Hugo, Fabio, Luciene e Josmar.

A UNIÃO, A SINTONIA E O PLANEJAMENTO DELES FIZERAM A DIFERENÇA.
Neste ano de 2013 a Divisão além de atingir as metas sugeridas pela Assessoria de Gestão e Planejamento Estratégico também conseguiu dar conta do aumento do volume de trabalho em relação ao ano de 2012, graças ao amadurecimento dos funcionários e a sintonia entre os membros das equipes que foram se capacitando ao longo do tempo.

Como a maioria das licitações são realizadas na modalidade Pregão, principalmente na forma Eletrônica, os certames para realização de compras ou contratação de serviços são finalizados com maior rapidez, sem falar na competitividade que gera maior economia para Administração Pública, pois através do Comprasnet é alcançado o mercado nacional.

Como ferramenta dessa agilidade nos trâmites processuais está o DIGIDOC (Sistema de tramitação de processos administrativos) que faz com que todos os processos administrativos tramitem na forma eletrônica e com maior segurança e rapidez. É com esse mesmo sentimento que a equipe da Divisão de Licitação e Contratos espera as novas metas de 2014.

Fonte: Informação extraída do blog UNIVERSO PÚBLICO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário