Compatilhar

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Canindé Barros está concluindo os estudos técnicos para licitar o Sistema de Transporte de São Luís e diz que não pode botar o carro na frente dos bois.

Lítia Cavalcanti, que em Sessão na Câmara de Vereadores
fez cálculos de supostos prejuízos dos empresários de ônibus.

O QUE DISSE A PROMOTORA LÍTIA CAVALCANTI?
Sem entender como funciona um Sistema de Transportes Coletivos, a Promotora Lítia Cavalcante quer que a Prefeitura de São Luís em poucos meses resolva um problema que tem décadas e está dominado por empresários acobertados por gente poderosa. Inclusive, o Ministério Público, que ao mesmo tempo que exige licitação do Sistema, também pede repasses de recompensas para os empresários de ônibus (RELEIA...).

O Prefeito Edivaldo Holanda Jr e Canindé Barros já declararam nos quatro cantos que os transportes públicos de São Luís estão longe de satisfazer a demanda que se apresenta.

Canindé Barros desde que assumiu recebeu a determinação de fazer um Estudo completo e concreto de todo o sistema para uma solução definitiva. Desde então veio trabalhando para realização da licitação em janeiro de 2015 após os estudos técnicos necessários.

"Não basta apenas publicar um edital, a licitação de um sistema de transportes requer tempo, em razão dos estudos técnicos necessários para evitarmos problemas futuros, talvez piores do que os que estão ocorrendo hoje", disse o Secretário da SMTT Canindé Barros.

O interesse do MP no assunto ajuda muito, mas ajudaria ainda mais se não atropelasse as fases necessárias para a solução do problema.

Para os técnicos que estão debruçados nos estudos, não se pode licitar o sistema sem antes dispor de um instrumento de combate à fraude (como a biometria facial, por exemplo). 

Portanto, antes que o MP se apresse por uma licitação de qualquer jeito, os técnicos da SMTT precisam consolidar:

1 - O Cadastramento da Biometria Facial;

2 - Estudos de Linhas;

3As normas técnicas e operacionais a serem definidas no Contrato de Concessão;

4 - Definição da  frota de veículos, recursos humanos e materiais adequados e necessários para atender todo o sistema e,

5 - Definição do valor total e dos valores por lote estimados para a licitação. 

Estas considerações não passaram pela cabeça da Promotora Lítia Cavalcante.

Canindé e os técnicos da SMTT estão dividindo o sistema para licitação em cinco bacias ou lotes: Lote 1 - Bacia do São Cristóvão; Lote 2 - Bacia da Zona Rural; Lote 3 - Bacia da Cohama; Lote 4 - Bacia do Cohatrac e Lote 5 - Bacia do Centro.

"Entendemos a pressa e as pressões sobre o Ministério Público, mas precisamos satisfazer as condições de pontualidade, regularidade, continuidade, segurança, eficiência, atualidade, generalidade, cortesia na sua prestação e modicidade das tarifas", concluiu Canindé Barros.

Após a licitação do Sistema, Canindé Barros propõe abrir para população a PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE CUSTOS DO SISTEMA DE TRANSPORTES DE SÃO LUÍS.

Um comentário:

  1. Anônimo22.10.14

    Seria bom destacar na matéria comentada que este TAC o qual a promotora está cobrando a realização do início de 2013 e foi firmado pela prefeitrua e pelo MP, sem falar que o prazo foi dilatado 2x. Até quando a população vai ter que esperar os trâmites da SMTT?

    ResponderExcluir