Compatilhar

terça-feira, 18 de novembro de 2014

R$ 10 bilhões: Os suspeitos e como funcionava o maior esquema de corrupção e lavagem de dinheiro da Petrobrás.

DO G1

AS LIGAÇÕES DA
OPERAÇÃO LAVA JATO

Quem são os suspeitos e como funcionava,
segundo a PF, o esquema de corrupção e lavagem de
dinheiro que movimentou R$ 10 bilhões
e envolveu a Petrobras
Foto: AP
DESÇA A PÁGINA PARA CONTINUAR

Publicado em: 18 de novembro de 2014
O que é: Operação Lava Jato
Quando: Deflagrada em 17 de março pela Polícia Federal
Suspeitas:
  •  Lavagem de dinheiro de pessoas físicas e jurídicas
  •  Pagamento de propina a políticos
  •  Caixa 2 para financiar partidos aliados do governo
  •  Corrupção de agentes públicos
  •  Sonegação fiscal e evasão de divisas
  •  Desvios de recursos públicos e da Petrobras

Como o dinheiro era desviado, em três passos

Entenda o esquema, segundo a Polícia Federal e depoimentos da delação premiada

Quem ficava com o que na Petrobras

Investigação e depoimentos apontam que partidos controlavam diretorias, segundo a Polícia Federal

Principais delatores

Doleiro, ex-diretor da Petrobras e empresários de fornecedora da estatal fizeram acordo de delação premiada

Alberto Youssef

ATIVIDADE
Doleiro, tinha a empresa de fachada MO Consultoria. Foi condenado
em 2004 por fraudes na venda do Banestado e envio ilegal de dinheiro
ao exterior
FUNÇÃO
Apontado pela polícia como operador do esquema
LIGAÇÕES
Relações com parlamentares e órgãos federais. Tentou fechar contrato com Ministério Saúde por meio do Labogen, laboratório do qual é investidor

Paulo Roberto Costa

ATIVIDADE
Diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras entre 2004 e 2012
FUNÇÃO
Pressionava empresas com negócio com a Petrobras a pagarem propina
LIGAÇÕES
No acordo de delação premiada, cita 3 governadores, 1 ministro, 6 
senadores, 25 deputados federais e 3 partidos envolvidos no esquema, segundo reportagem da revista ‘Veja’

Augusto Mendonça Neto e Julio Camargo Neto

ATIVIDADE
Executivos da empreiteira Toyo Setal
FUNÇÃO
Empresa era uma das fornecedoras da Petrobras, com contratos como o 
de R$ 1,1 bilhão do Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro)
LIGAÇÕES
Mendonça diz que as empreiteiras formavam um ‘clube’ para realizar as 
obras da estatal. Diz ter pago cerca de R$ 60 milhões para Duque

Principais contratos investigados

Obras de refinarias no Brasil e compra de Pasadena estão no radar da Polícia Federal

Linha do tempo da investigação

Operação foi deflagrada em 17 de março

Quem está preso ou teve prisão decretada até o momento

Dirigentes de empreiteiras e pessoas ligadas a Youssef foram levados para a PF de Curitiba

Créditos
Edição: Gustavo Miller (Conteúdo), Leo Aragão (Infografia) e Marcelo Brandt (Fotografia)
Infografia: Karina Almeida e Roberta Jaworski
Desenvolvedores: Fábio Rosa e Rogério Banquieri

Nenhum comentário:

Postar um comentário