Compatilhar

segunda-feira, 29 de junho de 2015

SÃO LUÍS: labrocheira e produtora de suas próprias doenças.

'Todos por São Luís' é o apelo do prefeito Edivaldo Holanda Junior para transforma uma cidade, cuja maioria da população é labrocheira e produtora de suas próprias doenças. A população de São Luís, com raras exceções, padece de ignorância. 

A prefeitura limpa, a população suja.
A prefeitura limpa, a população suja.
Quem dará fim nisto?

Um lixão para cada bairro. É esse o panorama da questão sanitária em São Luís. Os estudos coordenados pelo doutor em Saneamento Ambiental das Universidades Estadual e Federal do Maranhão, Lucio Antônio Alves de Macedo, revelam que todos os bairros da capital possuem um depósito ao ar livre a, no máximo, dois quilômetros de distância.

Ele classifica a situação como crítica e diz que 60% dos 350 bairros não têm estrutura para lidar com o montante de resíduos descartados. “São 1.350 toneladas de lixo produzidas pela cidade por dia, sendo 700 só de lixo domiciliar”, conta o especialista.

VEJA QUE TRISTEZA:


Na realidade, São Luís é feia e suja.

Entre a culpa dos gestores e a culpa dos moradores, estes são os mais culpados. 

A prefeitura limpa, a população suja.

A prefeitura limpa, a população suja.


Quem dará fim nisto?

Não será o prefeito Edivaldo Holanda Junior.

SERÁ 'TODOS POR SÃO LUÍS' 

Marcia de Sousa Rodrigues Almeida, filha de São Luís diz como vê a cidade.

São Luís, amada cidade feia e suja.


Esta semana, ao trabalhar na rota fazendo meu serviço de sempre, me peguei observando bem mais que os endereços pelas ruas e avenidas de São Luís.

Observei tudo como se fosse a primeira vez, e me perdi em meus devaneios, constatando e pensando coisas.

Constatei que a cidade de São Luís nada tem de maravilhosa, é uma cidade feia, suja e sem a mínima infraestrutura.

Se há alguém que discorda, olhe e perceba!

As ruas esburacadas; os esgotos estourados; no lugar de calçadas, mato e terra; sujeira por todas as ruas; no lugar de casas, palafitas.

Pensei que olhando como se estivéssemos de fora, o que parece é que a cidade não tem um administrador, um governo. Pois é tudo ao Deus dará!

E sabendo dos problemas que não se vê passando nas ruas, como a falta d’água, a falta de tratamento de lixo e esgoto, a saúde precária e até a falta de áreas verdes para lazer (uma vez me perguntei por que os parques ambientais daqui são só uns cercados mal cuidados. 

Será que o único que presta é o da Vale?); pensei que olhando como moradora seja extremamente vergonhoso.

A verdade em que meu rio de pensamentos desembocou foi a de que nosso voto não é arma coisa nenhuma. Que seja quem for o governante não faz nada para mudar este cenário hediondo e que só nos resta ficar conformados ou revoltados com nossa triste realidade.

Isto por que em trinta e poucos anos houve algumas mudanças em São Luís, mas nada relacionado ao citado a cima. Criaram-se shoppings, litorânea, lagoa, mas o esgoto ainda corre a céu aberto em todos estes lugares.

Como alguém pode ter como primordial o lazer em detrimento da saúde e infraestrutura? Assim são os nossos governantes!

Penso que deveriam preocupar-se primeiro com as obras de primeira necessidade: infraestrutura, saúde, água e luz para todos e etc.

São Luís é minha cidade; nasci, cresci e pretendo continuar morando aqui, mas meus olhos a veem deste jeito. Apenas o meu eu lírico vê São Luís como na foto deste post.

Com tudo isso, talvez a minha maior descoberta tenho sido a de que sou capaz de afeiçoar-me ao feio e ao sujo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário