Compatilhar

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Os grupos de oposição de Paço do Lumiar e o perigo de cair no ‘bom’ e velho canto da sereia.

Segundo a mitologia grega, as sereias habitavam os rochedos entre a ilha de Capri e a costa da Itália. Eram tão lindas e cantavam com tanta doçura que atraíam os tripulantes dos navios que passavam por ali. Seduzidos, os tripulantes ficavam perdidos sem rumo e a acabavam colidindo com os rochedos e terminavam no fundo do mar junto com a embarcação.
Pois bem, essa passagem mitológica é uma síntese do que deve acontecer em Paço do Lumiar, pra quem pretende entrar no projeto político, sem rumo da família Arôso, se porventura, alguns vierem a cair nos encantos e cantos feitos pela “sereia” Gilberto Arôso (PMDB). A ideia do ex - prefeito ao convidar a classe política para montar um projeto político para 2016, nada mais é do que uma estratégia para viabilizar sua família, no município e se apresentar com mais força. 
O objetivo de Gilberto, mesmo sabendo que estar inelegível é construir uma alternativa política na cidade, encabeçando o movimento para ter o poder maior de negociação. E assim, garantir o futuro de uma boa parte da família, para os próximos anos, um exemplo disso são as movimentações atrás de apoio ao seu projeto, pra se consolidar no jogo. É importante lembrar que mesmo tendo conhecimento de sua situação com a justiça, ele afirma pra todos que será candidato a prefeito em 2016. 
Outro fato importante é a maneira como Gilberto vem, enganando alguns pra tentar ampliar seu pequeno grupo político. Criou expectativa em várias lideranças para compor com ele, a chapa de vice e assim tentar aglutinar os demais grupos de oposição. 
Todo esse jogo montado, é pra garantir um espaço na atual conjuntura política pra sua tia Carmen Arôso e seu filho, que no momento se encontra em Stand By. Caso não consiga ter êxito, o que restará para o ex-prefeito será ostracismo político. 
Na Grécia Antiga ostracismo era uma forma de punição política empregada inicialmente pelos atenienses. Significava a expulsão política e o exílio por tempo determinado. 
Enquanto não chega a hora das eleições de fato começar, algumas lideranças oposicionista poderiam fazer como Odisseu, personagem da Odisseia de Homero, que conseguiu salvar-se do encanto das sereias colocando cera nos seus ouvidos e dos seus marinheiros e os amarrando ao mastro de seu navio, dessa forma ele evitou a sua morte e a de seus serviçais.