Compatilhar

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Empresa “desaparece” e abandona trabalhadores sem moradia e alimentação


Dezessete trabalhadores, a maioria paraenses, estão em São Luís sem moradia, alimentação ou meio de retorno, após terem viajado de Belém (PA) para receberem verbas trabalhistas da empresa Terramar Construções e Serviços – empresa do ramo metalúrgico, de propriedade de Eofrásio Barbosa de Melo Júnior, que prestava serviços à empresa Serveng S/A -, mas não encontraram qualquer pessoa no escritório da empresa, localizado no Calhau.

Os trabalhadores prestaram serviço no Terminal Ponta da Espera em São Luís e no estado do Rio Grande do Norte desde junho de 2015, e receberam aviso prévio em oito de agosto deste ano, após a empresa ter deixado de pagar os últimos meses de salário. Eles voltaram ao estado de origem, devendo retornar a São Luís após 30 dias para quitação das verbas trabalhistas, porém não encontraram qualquer representante de nenhuma das duas empresas para pagamento dos encargos e verbas trabalhistas.

Os trabalhadores informam que não receberam qualquer informação e nenhuma ajuda para hospedagem e alimentação. “Não nos deram satisfação ou documentos, estamos abandonados em condições degradantes”, diz um dos trabalhadores demitidos.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São Luís (Sindmetal) está prestando assistência aos trabalhadores. Para o presidente do sindicato, José Maria Araújo, a situação abusiva fere não só os direitos trabalhistas, mas expõe trabalhadores a uma situação subumana. “Eles foram abandonados em outro estado, longe das famílias, em condições que se assemelham ao trabalho escravo”, avalia.

Texto: Assessoria de Comunicação do Sindmetal