Compatilhar

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

VEJA AS PROVAS DOS DOIS ESQUEMAS CRIMINOSOS CONTRA A SAÚDE DO POVO DO MARANHÃO

I - OS ESQUEMAS CRIMINOSOS DOS MURAD

Relatórios produzidos pela Polícia Federal afirmam que durante a gestão de Ricardo Murad, entre 2010 e 2013, foi contratadas sem licitação para gerir unidades hospitalares do Estado, o ICN (Instituto Cidadania e Natureza) e a Bem Viver.

O esquema foi feito assim: O ICN e Bem Viver receberam a grana dos cofres do Estado e repassavam a parte destinada ao esquema de abastecer campanhas políticas e o bolso da galera para a empresa Litucera Limpeza e Engenharia, sediada em Vinhedo (SP). A Litucera recebeu R$ 15,8 milhões da Bem Viver e outros R$ 28,2 milhões do ICN. Desse montante, segundo o relatório da PF, a Litucera destinou pelo menos R$ 1,9 milhão para candidatos nas eleições de 2010, 2012 e 2014.

O juiz federal do caso escreveu: "A autoridade policial logrou demonstrar que além da prefeita eleita [de Coroatá] Maria Teresa Trovão Murad, esposa de Ricardo Murad, a Litucera financiou a campanha de mais 60 candidatos a vereador, sendo que foram eleitos sete vereadores do total de 13 vereadores, que corresponde a 53% do total de vereadores da Câmara Municipal".

A quadrilha comeu muita grana. A CGU afirma:

"Do montante fiscalizado, foi identificado prejuízo potencial de R$ 114.194.140,01 (cento e quatorze milhões, cento e noventa e quatro mil, cento e quarenta reais e um centavo):


"Soma-se a isso, as situações de notas fiscais inidôneas, que alcançam R$ 2.620.464,92 (dois milhões, seiscentos e vinte mil, quatrocentos e sessenta e quatro reais e noventa e dois centavos):


Segundo a PF, dos desvios também comeu:

- Maria Teresa Trovão Murad, que recebeu R$ 186 mil;
- Andrea Trovão Murad, que recebeu R$ 200 mil para sua campanha a deputada estadual, e 
- Alexandre Cesar Trovão, irmão de Teresa Murad e hoje presidente da Câmara de Coroatá, que recebeu R$ 22 mil.

II - OS ESQUEMAS CRIMINOSOS DOS COMUNISTAS

Nos mesmos crimes incorreram os comunistas quando assumiram o governo do Estado em 2015.

No Relatório da PF consta uma interceptação telefônica entre um funcionário da Secretaria de Saúde do governo Flávio Dino e um dos donos do Instituto Cidadania e Natureza (ICN), médico Inácio Guará – falecido posteriormente.

Em trecho do relatório, a PF diz: “na conversa [o funcionário do Governo Dino] pede para que seja realizada a contratação de Clenildo Bezerra, em Coroatá e de Tatiana como coordenadora de enfermagem”.


Clenildo é simplesmente o vice-presidente do PC do B da cidade de Coroatá, partido do governador Flávio Dino.

“Verifica-se que antes mesmo de sair o edital de licitação o investigado já tinha dados sigilosos sobre do processo de licitação, inclusive que seria dividida em grupos e já sabiam quais hospitais iriam administrar, tais como Hospital Geral. O resultado da licitação da SES MA foi divulgado no dia 14/04/2015 e a ICN foi vencedora de dois contratos orçados em R$ 98.700,00 e R$ 113.820.000,00 respectivamente”, diz o relatório da Polícia Federal.

SE A PF CONTINUAR INVESTIGANDO OS COMUNISTAS VÃO ENCONTRAR HORRORES DE DESVIOS NOS CONTRATOS DA SAÚDE, ABAIXO:

TERMO DE PARCERIA Nº 001/2015/SES. REF.: PROCESSO Nº 48.481/2015-SES
VALOR GLOBAL: R$ 135.540.000,00 (cento e trinta e cinco milhões, quinhentos e quarenta mil reais)

EXTRATO DO TERMO DE PARCERIA Nº 002/2015/SES-REF.: PROCESSO Nº 48.481/2015-SES.
VALOR GLOBAL: R$ 56.160.000,00 (cinqüenta e seis milhões, cento e sessenta mil reais).

1º Termo Aditivo/Processo nº 197.378/2015/SES ao TP nº 4/2014/SES
Custo do Projeto: R$ 409.440,00 (quatrocentos e nove mil, quatrocentos e quarenta reais).

1º TERMO ADITIVO AO CONTRATO DE GESTÃO Nº 05/2015/ SES.REF: PROCESSO Nº 117.903/2015/SES
Valor Mensal: R$ 12.974.589,55 (doze milhões, novecentos e setenta e quatro mil, quinhentos e oitenta e nove reais e cinquenta e cinco centavos).

1º TERMO ADITIVO AO CONTRATO DE GESTÃO Nº 06/2015/ SES.REF: PROCESSO Nº 120.491/2015/SES
Valor Mensal: R$ 6.314.642,29 (seis milhões, trezentos e quatorze mil, seiscentos e quarenta e dois reais e vinte e nove centavos).

3º TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 06/2013/SES.REF: PROCESSO Nº 127.305/2015/SES
Valor Mensal: R$ 88.443,13 (oitenta e oito mil, quatrocentos e quarenta e três reais e treze centavos)

3º TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 71/2013/SES.REF: PROCESSO Nº 87.458/2015/HEM
Valor Mensal: R$ 62.497,25 (sessenta e dois mil, quatrocentos e noventa e sete reais e vinte e cinco centavos).

2º TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 06/2013/ SES. REF. : PROCESSO Nº 219.938/2014/SES
Valor Mensal: R$ 88.443,13 (oitenta e oito mil, quatrocentos e quarenta e três reais e treze centavos).

1º TERMO ADITIVO AO CONTRATO DE GESTÃO Nº 03/2015/SES. REF: PROCESSO Nº 10.2760/2015/SES
Valor Mensal: R$ 6.742.924,00 (seis milhões, setecentos e quarenta e dois mil, novecentos e vinte e quatro reais).

5º TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 209/ 2011/SES. REF: PROCESSO Nº 118.097/2015/SES
Valor Mensal: R$ 821.609,65 (oitocentos e vinte e um mil, seiscentos e nove reais e sessenta e cinco centavos).

E mais dezenas de contratos aditivados quanto aos prazos.

Como são gulosos os peixes comunistas.