sábado, 24 de junho de 2017

Ator da Globo é autuado e detido em PE por desacato

Visivelmente drogado, o ator Fábio Assunção é algemado e detido em Arcoverde-PE por desordem e desacato. 

Não é a primeira vez que o ator global se envolve em confusão, em 2008 ele que estava acompanhado de um traficante que foi preso dentro de um flat da capital, foi detido para averiguação pela Polícia Federal.

Já em 2016 o ator Fábio Assunção foi autuado por crimes de desobediência e desacato depois de ter sido parado em uma blitz da operação Lei Seca, na Avenida Lúcio Costa, uma das principais vias da Barra da Tijuca, na zona oeste da capital fluminense.

No vídeo, o ator pede para falar com o sargento.

“Eu quero olhar no olho dele” e “eu não sou criminoso”, são algumas palavras de Fábio Assunção.

Fábio Assunção participou em Pernambuco do lançamento do documentário ‘Eu sonho para você ver’, nesta sexta-feira (23), na cidade de Arcoverde.

sábado, 17 de junho de 2017

O caos no Brasil é a administração pública sem planejamento

A administração pública em geral padece da falta de planejamento. Gestores, principalmente, do Poder executivo, em todas es esferas (Federal, Estadual e Municipal), com raras exceções, assumem a gestão pública sem a menor noção de planejamento.

Administrar um município, por exemplo, são necessários recursos humanos, recursos financeiros e materiais. Considerando a dimensão municipal e as demandas que se apresentam, isto não é nada fácil. Requer pelo menos a noção de planejamento estratégico por parte do prefeito. O resto pode ser complementado por uma assessoria especializada no assunto.

Em geral, prefeitos, governadores e até o Presidente da República estão pouco ligando para planejamentos estratégico na condução da coisa pública. Eis que concorre com isso interesses outros de cunho político, escambando para uma gestão contaminada pela corrupção, que drena em tempo recorde os recursos públicos em sua totalidade.

Ações paliativas é o que se tem visto por aí.

Esse aí é o prefeito de Paço do Lumiar-Ma
Sem planejamento e noção do que seja isto, prefeitos incompetentes têm transformado municípios brasileiros em terra arrasada, acobertados pela conivência da população, pela inércia dos órgãos de controle e lerdeza do Poder judiciário.

Verificando como ficou a foto

Sem objetivos e estratégia, não há planejamento. Sem planejamento a população sofre pelo caos que se instala. O objetivo diz onde se quer chegar e a estratégia mostra como se chegará lá.

É simples assim! Basta querer! Infelizmente, os gestores públicos do Brasil não querem.

CAOS NA EDUCAÇÃO DE SÃO LUÍS-MA: Educação pública municipal de São Luís agoniza.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Escola da Magistratura promove curso sobre a efetividade da justiça para magistrados

O desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo e professor da PUC-SP Guilherme de Souza Nucci iniciou, nesta quinta-feira (8), as aulas do curso Efetividade da Justiça, promovido pela Escola Superior da Magistratura do Maranhão (Esmam). A capacitação foi aberta pelo desembargador Paulo Velten, diretor da instituição de ensino judicial. 
Corrupção, delação premiada, infiltração de policiais em organizações criminosas e novos conceitos de crime organizado foram os principais temas abordados na abertura da capacitação destinada aos juízes vitalícios e vitaliciandos do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA). 
Nucci, que é autor de 29 livros sobre diferentes aspectos do Direito Penal e um dos doutrinadores mais citados da atualidade, apontou o Judiciário como “a salvaguarda” na situação de crise política pela qual passa o país. “Nossa tarefa, não só como juízes, mas como cidadãos é agirmos com retidão e ética”, orientou.
Para o jurista, o cerne de uma organização criminosa é a corrupção. "Nenhuma delas prescinde da colaboração do poder público, dos agentes estatais. Não há operação no mundo que acabe com o crime organizado sem ajuda do parlamento”, disse. 
Nucci comentou a lei 12.850/2013, que trata do crime organizado no Brasil, destacando os avanços, equívocos e correções da norma atual em relação à legislação anterior (lei lei 9.034/95). “A legislação em vigor é viável e tem mais qualidade jurídica e técnica, traz avanços quanto à extensão de sua aplicabilidade, inclusive no exterior. Hoje, o Brasil pode aplicar a nossa lei a organizações terroristas internacionais, o que não acontecia até então”, avaliou.
O criminalista também vai tratar sobre a compatibilidade entre direitos humanos e segurança pública, meios de provas no crime organizado, crise no sistema carcerário na visão da lei penal, da lei de execução penal e análise concreta das decisões judiciais, especialmente do STF e do STJ.
FORMAÇÃO - Durante a formação, cujo projeto está relacionado ao núcleo de Direito Constitucional, Direitos Humanos, Fundamentais e Sociais da Esmam, Nucci será auxiliado pelo professor de Direito Penal da Escola Paulista de Direito Rafael Barone Zimmaro, que atuará na fase prática do curso, com estudos de caso a serem desenvolvidos pelos magistrados inscritos.
A proposta da Esmam é levar os magistrados a aplicar instrumentos adequados para entender e solucionar casos complexos envolvendo organização criminosa, sintetizar e conhecer todas as propostas de aplicação efetiva da lei penal, captar e aplicar os direitos humanos fundamentais sem perder de vista a segurança pública.
A capacitação tem ainda o objetivo de colaborar com os magistrados no enfrentamento de questões polêmicas relativas às organizações criminosas e os métodos de prova, além de superar dúvidas no tocante ao crime de corrupção e à lei anticorrupção.
De janeiro a junho deste ano, a escola judicial ofertou 15 cursos de formação continuada para magistrados e outros 13 para servidores do Poder Judiciários, além de seminários, palestras e eventos culturais.
Assessoria de Comunicação do TJMA

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Sai primeiro lote de restituição do IR: especialistas orientam como investir

De O Globo RIO - A Receita Federal libera a partir das 9h desta quinta-feira a consulta para o primeiro lote da restituição do Imposto de Renda 2017. O pagamento, porém, será feito apenas no dia 16, quando mais de 1,6 milhão de contribuintes irão receber R$ 3 bilhões. Mas, cuidado: apesar da tentação, especialistas insistem que é preciso cautela na hora de gastar o dinheiro.

— Se o contribuinte tiver alguma dívida, a prioridade será sempre que ele use essa quantia para pagar a dívida, seja total ou parcialmente — aconselha Fabio Garcia, professor de Finanças Pessoais da Eaesp-FGV.

Para saber se está incluído no 1º lote, o contribuinte deve realizar consulta pelo CPF neste site.

Myrian Lund, planejadora financeira e professora da FGV, concorda que as dívidas devam sempre ser o destino prioritário das restituições, e acrescenta ainda a importância de uma reserva de emergência. Segundo ela, porém, a poupança não é a aplicação mais recomendável para guardar a quantia emergencial.

— Poupança não é investimento. Para manter uma reserva de emergência, o ideal é investir em um fundo de renda fixa ou em títulos do Tesouro indexados à taxa Selic, por causa de sua liquidez diária. Vendeu hoje, recebe no dia seguinte — explicou ela.

Para os felizardos que já tem um fundo de reserva e não têm dívidas para pagar, a dica então é investir. Apesar dos últimos anúncios do Comitê de Política Monetária (Copom), que vem reduzindo as taxas de juros (hoje, a Selic está em 10,25%), os especialistas mostram que ainda vale a pena manter dinheiro aplicado, já que o Brasil continua apresentando uma taxa de juros real acima de 4% ao ano.

— Tesouro Direto é sempre uma boa oportunidade, porque é onde é possível conseguir taxas mais altas. Mas, para saber qual título escolher, é preciso definir o destino desse dinheiro. É uma viagem? Um carro? Uma aposentadoria? Tudo depende — disse Myrian.

Para Mauro Calil, consultor financeiro e fundador da Academia do Dinheiro, a restituição do IR deve principalmente reforçar investimentos que já estejam sendo feitos pelo contribuinte, por não ser uma quantia muito expressiva. Mas, para os que querem começar a investir com a quantia, o especialista aconselha um fundo de debêntures incentivadas, que são títulos emitidos por empresas.

— Poucos estão falando sobre eles, mas é um investimento que vai ganhar expressão rapidamente, porque tem isenção do Imposto de Renda e aportes a partir de R$ 100, além de boa liquidez. Por isso, são uma alternativa interessante para quem quer usar a restituição para começar um investimento.

Mas, cuidado. Apesar da liquidez, que permite que você invista no fundo diariamente, é preciso ficar atento às regras de resgate do fundo, que não são tão vantajosas. Segundo Calil, as datas se iniciam em D+30, D+45, e até mais, já que o gestor precisa de um prazo para vender a debênture.

MOMENTO DE CAUTELA

Outro ponto em que os especialistas são unânimes é sobre onde não investir: ações. Segundo eles, o momento não é propício para investimentos de risco, devido às crises políticas, que acabam influenciando o cenário econômico.

CUIDADO COM ANTECIPAÇÃO DA RESTITUIÇÃO

Caso o contribuinte não esteja no primeiro lote, o professor de Finanças Pessoais da Eaesp-FGV desaconselha empréstimos bancários antecipados que, segundo ele, contam com taxas muito próximas às de crédito pessoal, em torno de 4% e 5% ao mês.

— É um risco muito grande, já que você está contando com um dinheiro que ainda não saiu, e com taxas muito altas. Por isso, a recomendação é sempre mais cautela. A única hipótese em que se recomenda a medida é para trocar uma dívida mais cara por uma mais barata — explica Garcia.

CALCULADORA: CARRO, TÁXI OU UBER?

sexta-feira, 2 de junho de 2017

CASAMENTO COMUNITÁRIO 2017 EM SÃO LUÍS: Agendamento de inscrições começa na segunda-feira (5)

Agendamento de inscrições para o Casamento Comunitário em São Luís começa na segunda-feira, 5. Estão sendo oferecidas 600 vagas somente para casais residentes em São Luís.

COMO AGENDAR A INSCRIÇÃO - Os casais interessados devem ligar para o Tele judiciário (0800-707-1581), do dia 5 até 14 de junho – ou enquanto durar as vagas, no horário das 8h às 18h e informar nome, idade e telefone dos noivos para os atendentes.

domingo, 28 de maio de 2017

Pastor presidente das ADs proibe o renonado pastor Adão Santos de pregar nas ADs do Maranhão

Do Blog do Ezequiel Neves

POLEMICA: PASTOR PEDRO ALDI DAMASCENO, EMITE NOTA DE PROIBIÇÃO AO PASTOR ADÃO SANTOS, PREGAR NAS ASSEMBLEIAS DE DEUS FILIADA A CONVENÇÃO DA CEADEMA. A Assembleia de Deus no Brasil é uma denominação dividida em vários ministérios, convenções e igrejas independentes. Essas divisões geralmente são fruto de disputas de poder eclesiástico, e causam rivalidades acentuadas. Uma dessas rivalidades ministeriais mais uma vez vem atona nestes últimos dias no Maranhão.
      
Pastor ADÃO SANTOS , é Conferencista, presidente do Ministério Assembléia de Deus Impactando as Nações,Ministro do evangelho desde os 16 anos de idade, teve chamado de forma sobrenatural,escutando as voz do próprio Deus, ele tem pregado por várias partes do Brasil e do mundo, em grandes Congressos,Cruzadas e Conferências.

Em virtude do mesmo ter o seu ministério itinerante, sem fazer discriminação de ministério, vai aonde for convidado e Deus ordenar, nestes últimos dias o pastor Adão foi convidado a pregar em outro ministério, que não faz parte da convenção da CEADEMA, desde então o  pastor passou ser impedido de ser convidados pelos pastores por ordem expressa do  presidente pastor Pedro Aldi Damasceno, que passou a se referi ao pastor Adão, como pregador de pregação duvidosa, que até alguns dias era indicado e bem recebido pelos pastores que fazem parte da CEADEMA. E que por ventura já esteve pregando na IEAD, aqui em Chapadinha, a convite do pastor  Elias Lima Sousa.

Mas no dia 24 de maio do corrente ano, segundo o presidente pastor Pedro Damascena, não é mais bem vindo a pregar nas Assembleias de Deus que fazem parte da CEADEMA.
Motivos:
a) Por suas mensagens existir pontos duvidosos! (inverdade);

b) Por ser ciente, que este referido grupo (Peba), tem muito perturbado o bom andamento dos trabalhos Evangelístico e pastorais da Convenção das Assembleia de Deus da CEADEMA.

Até essa data o pastor Adão Santos, era recomendado e bem aceito nas igrejas evangélicas da Convenção Assembleia de Deus da CEADEMA, só o pastor Adão santos, aceitar o convite e pregar no ministério do grupo, taxado pelo Pedro Damascena, como grupo “PEBA” que é um ministério segundo Damascena, tem causado perturbação ao andamento do crescimento da CEADEMA. Que o presidente Pedro Damasceno, passou a ver o pastor Adão como mentiroso.

É lamentável em pleno seculo XXI, ainda existir esse tipo de ação por parte de algum líder evangélico, que prega o amor, a comunhão e a paz, e ao mesmo tempo faz essa discriminação, é  preocupante pois só tem um céu, um só Deus, não é placa de igreja que salva.
Todas as formas de discriminação são afrontas à obra de Cristo na cruz.

“Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.” Efésios 4:32

Jesus nos ordena que amemos uns aos outros assim como Ele nos ama.

“Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros. Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros. ” João 13:34-35

Se Deus é imparcial, e nos ama com imparcialidade, isto significa que precisamos amar aos outros no mesmo padrão. Se tratarmos uma pessoa com desprezo, estamos maltratando uma pessoa criada à imagem de Deus; estaremos ferindo alguém que Deus ama e por quem Jesus morreu.

“Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus.” Gálatas 3:28

Pregar o amor é melhor que pregar preconceitos e retaliações, pois Deus não faz acepção de pessoas. Podemos estar afastando alguém que seria, para nós, uma bênção e que certamente, para Deus, já faz muita diferença. Opte por ser tal como Cristo, e não como os fariseus, pois estes foram condenados por Jesus pelas suas práticas discriminatórias.

Leia na integra a nota do presidente da CEADEMA, aos seus Convencionais, através do grupo de WhatsApp dos pastores.
Nobres pastores, por várias vezes o pastor Adão! Que já esteve pregando em nossas igrejas da CEADEMA.

Informamos que o referido pastor, estará pregando no grupo do “Peba”. Informamos aos nossos pastores da CEADEMA. Que a partir desta data 24 de maio do ano em curso(2017).
Este referido senhor, pastor Adão! Ficará suspenso de pregar nas igrejas da nossa CEADEMA.

Motivos: a) Por suas mensagens existir pontos duvidosos! (inverdade), b) Por ser ciente, que este referido grupo (Peba), tem muito perturbado o bom andamento dos trabalhos Evangelístico e pastorais da Convenção das Assembleia de Deus da nossa CEADEMA.

Peço aos nobres e bondosos pastores, que não mais convide este senhor como pregador. E se alguém estiver convidado o mesmo, pedimos que por gentileza desfaça o convite, ou , acordo.
Grato! Do vosso em Cristo Jesus.
Pastor Pedro Aldi Damasceno



2 comentários:
Luciano Rodrigo Rqodrigo28 de maio de 2017 07:17

Isso é abuso de poder 

Jesus disse quem não por nós é contra nós quem ajunta espalha 
O tal referido grupo não está também pregando a palavra de Deus
Então pastor deixa o povo em a Bíblia diz que a ceara é grande e poucos os cefeiros 
Vai fazer a obra de Deus e deixa de está perseguindo o povo 
A verdade é esses homens que se diz homes de Deus só se preocupam com o dinheiro mesmo não com as almas

Responder

Fiel aos Fatos28 de maio de 2017 17:02

Em que bicho feio estão transformando as Assembleias de Deus. Isto tem outro nome, inveja, exclusivismo e uso dos crentes assembleanos para obterem poder político. Jesus diante da atitude do pastor Aldi o vomita para os quintos

terça-feira, 23 de maio de 2017

OS PARLAMENTARES BRASILEIROS QUE ENTRARAM NO ESQUEMA DA JBS

R$ 1.985.200,00 - Cristiane Brasil - PTB/RJ
R$ 1.900.000,00 - Antonio Anastasia - PSDB/MG
R$ 1.720.000,00 - Simone Tebet - PMDB/MS
R$ 1.589.500,00 - Orlando Silva - PCdoB/SP
R$ 1.500.000,00 - Fernando Monteiro - PP/PE
R$ 1.500.000,00 - Lincoln Portela - PRB/MG
R$ 1.400.000,00 - Wellington Fagundes - PR/MT
R$ 1.300.000,00 - Jorge Boeira - PP/SC
R$ 1.250.000,00 - Ricardo Barros - PP/PR
R$ 1.199.958,00 - Julio Lopes - PP/RJ
R$ 1.165.000,00 - Fátima Bezerra - PT/RN
R$ 1.100.000,00 - Fábio Faria - PSD/RN
R$ 1.100.000,00 - Roberto Britto - PP/BA
R$ 1.100.000,00 - Wellington Roberto - PR/PB
R$ 1.025.000,00 - Sandes Júnior - PP/GO
R$ 1.000.000,00 - Luiz Fernando Faria - PP/MG
R$ 959.707,36 - Paulo Pereira da Silva - SD/SP
R$ 900.000,00 - Dilceu Sperafico - PP/PR
R$ 900.000,00 - Dimas Fabiano - PP/MG
R$ 900.000,00 - Roberto Balestra - PP/GO
R$ 850.000,00 - Jerônimo Goergen - PP/RS
R$ 850.000,00 - Mário Negromonte Jr. - PP/BA
R$ 833.328,00 - Acir Gurgacz - PDT/RO
R$ 820.000,00 - Renato Molling - PP/RS
R$ 795.000,00 - Simão Sessim - PP/RJ
R$ 734.760,00 - Afonso Hamm - PP/RS
R$ 700.000,00 - Aelton Freitas - PR/MG
R$ 700.000,00 - Davi Alves Silva Júnior - PR/MA
R$ 700.000,00 - Gorete Pereira - PR/CE
R$ 700.000,00 - Missionário José Olimpio - DEM/SP
R$ 700.000,00 - Nelson Meurer - PP/PR
R$ 695.000,00 - Iracema Portella - PP/PI
R$ 690.000,00 - Davidson Magalhães - PCdoB/BA
R$ 650.000,00 - Cacá Leão - PP/BA
R$ 645.000,00 - José Otávio Germano - PP/RS
R$ 630.000,00 - Renato Andrade - PP/MG
R$ 600.000,00 - Esperidião Amin - PP/SC
R$ 600.000,00 - Guilherme Mussi - PP/SP
R$ 600.000,00 - João Carlos Bacelar - PR/BA
R$ 600.000,00 - Lázaro Botelho - PP/TO
R$ 600.000,00 - Renzo Braz - PP/MG
R$ 600.000,00 - Gladson Cameli - PP/AC
R$ 600.000,00 - José Maranhão - PMDB/PB
R$ 599.986,00 - Daniel Almeida - PCdoB/BA
R$ 550.000,00 - Andres Sanchez - PT/SP
R$ 526.483,66 - Luis Tibé - PTdoB/MG
R$ 520.495,00 - Aguinaldo Ribeiro - PP/PB
R$ 520.000,00 - Alice Portugal - PCdoB/BA
R$ 500.000,00 - Arthur Lira - PP/AL
R$ 500.000,00 - Carlos Bezerra - PMDB/MT
R$ 500.000,00 - Luis Carlos Heinze - PP/RS
R$ 500.000,00 - Magda Mofatto - PR/GO
R$ 500.000,00 - Paulo Henrique Lustosa - PP/CE
R$ 500.000,00 - Toninho Pinheiro - PP/MG
R$ 500.000,00 - Dário Berger - PMDB/SC
R$ 468.379,59 - Sérgio Reis - PRB/SP
R$ 450.000,00 - Maurício Quintella Lessa - PR/AL
R$ 446.360,68 - José Serra - PSDB/SP
R$ 420.557,51 - Chico Lopes - PCdoB/CE
R$ 400.750,00 - Milton Monti - PR/SP
R$ 400.000,00 - Beto Rosado - PP/RN
R$ 400.000,00 - Luiz Nishimori - PR/PR
R$ 400.000,00 - Marcelo Belinati - PP/PR
R$ 400.000,00 - Marcos Soares - DEM/RJ
R$ 400.000,00 - Marinha Raupp - PMDB/RO
R$ 392.974,43 - Reginaldo Lopes - PT/MG
R$ 330.000,00 - Marco Antônio Cabral - PMDB/RJ
R$ 320.557,51 - Ronaldo Martins - PRB/CE
R$ 307.213,16 - Alfredo Nascimento - PR/AM
R$ 300.000,00 - Bilac Pinto - PR/MG
R$ 300.000,00 - Geraldo Resende - PSDB/MS
R$ 300.000,00 - Jorginho Mello - PR/SC
R$ 300.000,00 - José Rocha - PR/BA
R$ 300.000,00 - Mauro Mariani - PMDB/SC
R$ 300.000,00 - Paulo Freire - PR/SP
R$ 300.000,00 - Sebastião Oliveira - PR/PE
R$ 284.774,00 - Benito Gama - PTB/BA
R$ 250.000,00 - Benjamin Maranhão - SD/PB
R$ 250.000,00 - Giacobo - PR/PR
R$ 250.000,00 - Sergio Vidigal - PDT/ES
R$ 250.000,00 - Walter Ihoshi - PSD/SP
R$ 248.950,00 - Nilton Capixaba - PTB/RO
R$ 240.000,00 - Carlos Zarattini - PT/SP
R$ 237.500,00 - Arlindo Chinaglia - PT/SP
R$ 236.088,00 - Marx Beltrão - PMDB/AL
R$ 233.500,00 - Paulo Rocha - PT/PA
R$ 207.500,00 - Angela Albino - PCdoB/SC
R$ 205.000,00 - Marcus Vicente - PP/ES
R$ 200.840,00 - Goulart - PSD/SP
R$ 200.000,00 - Covatti Filho - PP/RS
R$ 200.000,00 - Elcione Barbalho - PMDB/PA
R$ 200.000,00 - Jefferson Campos - PSD/SP
R$ 200.000,00 - Lucio Vieira Lima - PMDB/BA
R$ 200.000,00 - Osmar Serraglio - PMDB/PR
R$ 200.000,00 - Osmar Terra - PMDB/RS
R$ 200.000,00 - Remídio Monai - PR/RR
R$ 200.000,00 - Rosinha da Adefal - PTdoB/AL
R$ 200.000,00 - Silas Freire - PR/PI
R$ 200.000,00 - Wadson Ribeiro - PCdoB/MG
R$ 200.000,00 - Wladimir Costa - SD/PA
R$ 200.000,00 - Rose de Freitas - PMDB/ES
R$ 180.000,00 - Vinicius Gurgel - PR/AP
R$ 170.000,00 - Dagoberto Nogueira - PDT/MS
R$ 161.437,50 - Eduardo da Fonte - PP/PE
R$ 150.000,00 - Baleia Rossi - PMDB/SP
R$ 150.000,00 - Fabio Garcia - PSB/MT
R$ 150.000,00 - Givaldo Carimbão - PHS/AL
R$ 150.000,00 - Rubens Pereira Júnior - PCdoB/MA
R$ 150.000,00 - Ságuas Moraes - PT/MT
R$ 142.500,00 - José Mentor - PT/SP
R$ 138.005,45 - Davi Alcolumbre - DEM/AP
R$ 136.000,00 - Keiko Ota - PSB/SP
R$ 131.469,50 - Ronaldo Nogueira - PTB/RS
R$ 111.548,30 - Celso Russomanno - PRB/SP
R$ 109.920,00 - Sérgio Moraes - PTB/RS
R$ 105.000,00 - Rosangela Gomes - PRB/RJ
R$ 103.000,00 - Carlos Marun - PMDB/MS
R$ 103.000,00 - Tereza Cristina - PSB/MS
R$ 102.099,65 - Weliton Prado - PMB/MG
R$ 100.000,00 - Aliel Machado - REDE/PR
R$ 100.000,00 - André Figueiredo - PDT/CE
R$ 100.000,00 - Damião Feliciano - PDT/PB
R$ 100.000,00 - Efraim Filho - DEM/PB
R$ 100.000,00 - Flávia Morais - PDT/GO
R$ 100.000,00 - Flavio Nogueira - PDT/PI
R$ 100.000,00 - Julião Amin - PDT/MA
R$ 100.000,00 - Lelo Coimbra - PMDB/ES
R$ 100.000,00 - Mainha - PP/PI
R$ 100.000,00 - Marcos Rogério - DEM/RO
R$ 100.000,00 - Mendonça Filho - DEM/PE
R$ 100.000,00 - Miguel Lombardi - PR/SP
R$ 100.000,00 - Pauderney Avelino - DEM/AM
R$ 100.000,00 - Paulo Azi - DEM/BA
R$ 100.000,00 - Rodrigo Maia - DEM/RJ
R$ 100.000,00 - Silvio Torres - PSDB/SP
R$ 100.000,00 - Simone Morgado - PMDB/PA
R$ 100.000,00 - Weverton Rocha - PDT/MA
R$ 100.000,00 - Zé Silva - SD/MG
R$ 98.251,95 - Ademir Camilo - PTN/MG
R$ 95.000,00 - Chico D'angelo - PT/RJ
R$ 95.000,00 - Luiz Sérgio - PT/RJ
R$ 95.000,00 - Marco Maia - PT/RS
R$ 85.000,00 - Felipe Maia - DEM/RN
R$ 80.000,00 - Glauber Braga - PSOL/RJ
R$ 77.000,00 - Jhonatan de Jesus - PRB/RR
R$ 75.000,00 - Ronaldo Fonseca - PROS/DF
R$ 71.000,00 - Marcelo Matos - PHS/RJ
R$ 70.000,00 - Antônio Jácome - PTN/RN
R$ 70.000,00 - Pompeo de Mattos - PDT/RS
R$ 66.400,00 - Paulo Pimenta - PT/RS
R$ 62.500,00 - Zé Geraldo - PT/PA
R$ 50.000,00 - Adilton Sachetti - PSB/MT
R$ 50.000,00 - Capitão Augusto - PR/SP
R$ 50.000,00 - Edinho Araújo - PMDB/SP
R$ 50.000,00 - Giovani Cherini - PR/RS
R$ 50.000,00 - Laura Carneiro - PMDB/RJ
R$ 50.000,00 - Lindomar Garçon - PRB/RO
R$ 50.000,00 - Ronaldo Lessa - PDT/AL
R$ 50.000,00 - Rosângela Curado - PDT/MA
R$ 50.000,00 - Valtenir Pereira - PMDB/MT
R$ 47.500,00 - Zeca Dirceu - PT/PR
R$ 43.557,51 - Leônidas Cristino - PDT/CE
R$ 37.300,00 - Marcelo Aguiar - DEM/SP
R$ 32.300,00 - Beto Faro - PT/PA
R$ 30.000,00 - Professor Victório Galli - PSC/MT
R$ 28.940,81 - Gabriel Guimarães - PT/MG
R$ 25.086,00 - Mandetta - DEM/MS
R$ 25.000,00 - Moisés Diniz - PCdoB/AC
R$ 25.000,00 - Sibá Machado - PT/AC
R$ 22.863,50 - Elizeu Dionizio - PSDB/MS
R$ 20.000,00 - Lucio Mosquini - PMDB/RO
R$ 19.240,00 - Renata Abreu - PTN/SP
R$ 19.005,00 - Vinicius Carvalho - PRB/SP
R$ 16.500,00 - Luiz Carlos Busato - PTB/RS
R$ 15.387,29 - Adelmo Carneiro Leão - PT/MG
R$ 13.767,56 - George Hilton - PSB/MG
R$ 13.354,16 - Jô Moraes - PCdoB/MG
R$ 11.014,00 - Laudivio Carvalho - SD/MG
R$ 10.944,50 - Rodrigo de Castro - PSDB/MG
R$ 10.000,00 - Odair Cunha - PT/MG
R$ 8.625,00 - Roberto Sales - PRB/RJ
R$ 7.500,00 - João Paulo Kleinübing - PSD/SC
R$ 7.500,00 - João Rodrigues - PSD/SC
R$ 6.783,83 - Saraiva Felipe - PMDB/MG
R$ 6.500,00 - Beto Mansur - PRB/SP
R$ 5.000,00 - Rubens Otoni - PT/GO
R$ 5.000,00 - Veneziano Vital do Rêgo - PMDB/PB
R$ 4.000,00 - Alexandre Leite - DEM/SP
R$ 2.500,00 - Cabo Sabino - PR/CE
R$ 2.098,50 - Flavinho - PSB/SP
R$ 1.150,00 - Marcelo Álvaro Antônio - PR/MG
R$ 1.111,10 - Dr. Sinval Malheiros - PTN/SP
R$ 1.000,00 - Jorge Tadeu Mudalen - DEM/SP
R$ 762,50 - Bruna Furlan - PSDB/SP
R$ 700,00 - Ana Perugini - PT/SP
R$ 575,00 - Patrus Ananias - PT/MG
R$ 557,51 - Adail Carneiro - PP/CE
R$ 557,51 - Ariosto Holanda - PDT/CE
R$ 557,51 - Arnon Bezerra - PTB/CE
R$ 557,51 - Domingos Neto - PSD/CE
R$ 557,51 - José Guimarães - PT/CE
R$ 557,51 - Vicente Arruda - PDT/CE
R$ 491,00 - Brunny - PR/MG
R$ 483,00 - Diego Andrade - PSD/MG
R$ 210,00 - Mário Heringer - PDT/MG
R$ 84,00 - Eduardo Barbosa - PSDB/MG


sábado, 20 de maio de 2017

RÁDIO WEB JUSTIÇA DO MA: Dois anos divulgando as ações do Poder Judiciário maranhense

Concebida como canal de intercâmbio de informações com a sociedade, a Rádio Web Justiça do Maranhão inovou a comunicação do Judiciário Maranhense, com notícias focadas nas ações da Justiça Estadual, que inclui diversas formas de comunicação, como entrevistas, reportagens, músicas, transmissão ao vivo das sessões do Pleno do Tribunal de Justiça do Maranhão e das Câmaras cíveis e criminais reunidas.


A emissora entrou em atividade no dia 13 de maio de 2015, durante a gestão da desembargadora Cleonice Freire – atinge hoje 97 países de todos os continentes, com mais de 100 mil acessos mensais de ouvintes, transmitindo, em plataforma digital, serviços, notícias de julgamentos, reportagens, entrevistas e atos dos órgãos da Justiça do Maranhão.

Instalada no Palácio Clóvis Bevilácqua – sede oficial do Poder Judiciário maranhense – a emissora recebeu homenagens na Sessão de Quarta-feira (17), do Pleno do Tribunal de Justiça do Maranhão, pelos dois anos de serviços prestados na área de comunicação institucional. Foi exibido aos presentes um vídeo sobre o trabalho desenvolvido pela rádio, cuja marca ganhou nova concepção visual.


O presidente do TJMA, desembargador Cleones Cunha, ressaltou que a emissora tem cumprido o seu papel institucional, divulgando as ações do Poder Judiciário e aprimorando o intercâmbio de informações com a sociedade. "Ao longo desses dois anos, a rádio se consolidou como veículo de comunicação institucional, oferecendo uma programação de qualidade a um público cada vez mais conectado à tecnologia", afirmou o presidente do TJMA.

Para a assessora de comunicação da Presidência do TJ, Roberta Gomes, a programação da Rádio Web Justiça do Maranhão é desenvolvida com o objetivo de aprimorar o intercâmbio de informações do Judiciário com a sociedade. "Desenvolvemos uma ampla programação essencialmente jornalística, aproximando cada vez mais o judiciário da sociedade", ressaltou Roberta Gomes.

A PROGRAMAÇÃO DA RÁDIO WEB JUSTIÇA DO MARANHÃO

ACESSO – Por meio de desktop (computador de mesa), notebook, tablet ou celular, o ouvinte da Rádio Web Justiça do Maranhão tem acesso às informações sobre o trabalho do Poder Judiciário, cobertura de sessões do TJMA, além de uma diversificada programação musical.

Além do Tribunal de Justiça, o noticiário tem foco nas ações da Corregedoria Geral da Justiça, Escola Superior da Magistratura do Maranhão (ESMAM) e demais órgãos do Poder Judiciário.

A grade de programação da emissora inclui também a parte musical com jazz, blues e outras vertentes encontradas em países da África, Ásia,Ocenia, Europa e Oriente Médio.
Acesse o portal do Judiciário (www.tjma.jus.br), clicando no banner da rádio – ou direto no endereço da Rádio Web. Ou ouça diretamente neste blog no banner ao lado.


Com informações da Assessoria de Comunicação do TJMA

quinta-feira, 18 de maio de 2017

"No exterior a companhia cresceu sem transgredir valores éticos": Declaração do dono do Grupo JBS

Em carta assinada, o dono do Grupo JBS Joesley Batista, admite que a empresa fez 'pagamentos indevidos a agentes públicos' e disse que no exterior a companhia cresceu 'sem transgredir valores éticos'.

Veja a íntegra da nota enviada pela JBS:

"Erramos e pedimos desculpas.

Não honramos nossos valores quando tivemos que interagir, em diversos momentos, com o Poder Público brasileiro. E não nos orgulhamos disso.

Nosso espírito empreendedor e a imensa vontade de realizar, quando deparados com um sistema brasileiro que muitas vezes cria dificuldades para vender facilidades, nos levaram a optar por pagamentos indevidos a agentes públicos.

Ainda que nós possamos ter explicações para o que fizemos, não temos justificativas.

Em outros países fora do Brasil, fomos capazes de expandir nossos negócios sem transgredir valores éticos.

Assim construímos um grupo empresarial gerador de mais de 270 mil empregos diretos, com times extraordinários e competentes, que operam 300 fábricas em cinco continentes e oferecem mundialmente produtos de qualidade.

O Brasil mudou, e nós mudamos com ele. Por isso estamos indo além do pedido de desculpas. Assumimos aqui um Compromisso Público de sermos intolerantes e intransigentes com a corrupção.

Assinamos acordos com o Ministério Público. Concordamos em participar de alguns dos mais incisivos mecanismos de investigação existentes e nos colocamos à disposição da Justiça para expor, com clareza, a corrupção das estruturas do Estado brasileiro.

Pedimos desculpas a todos os brasileiros e a todos que decepcionamos, que acreditam e torcem por nós.

Enfrentaremos esse difícil momento com humildade e o superaremos acordando cedo e trabalhando muito.

Joesley Batista"
Joesley Mendonça Batista, presidente da J&F;, grupo que controla o frigorífico JBS (Foto: Jonne Roriz/Estadão Conteúdo)

O câncer do Brasil


quarta-feira, 17 de maio de 2017

Deputados estaduais impedem 98% das investigações contra governadores

"Uma mão lava a outra". Sob esse lema, deputados estaduais, como maiores coniventes e participantes da corrupção que rapinam os cofres dos estados brasileiros, são os responsáveis pela impunidade de governadores parceiros de corrupção e desvio de recursos públicos. Leia a reportagem abaixo:

Por Carolina Linhares - Folha
As Assembleias blindaram 98% das investigações contra governadores entre 2001 e 2016, segundo dados do STJ (Superior Tribunal de Justiça), corte onde os chefes do Executivo estadual são julgados.

No dia 4, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu que os governadores do país podem virar réus sem precisar do aval prévio de dois terços dos deputados estaduais. 

De acordo com o STJ, apenas um pedido foi autorizado por deputados estaduais de um total de 52 no período. Foi em 2005, quando a Assembleia de Rondônia permitiu que o senador Ivo Cassol (PP), então governador, fosse processado por formação de quadrilha e fraude em licitações. 

Os supostos crimes ocorreram entre 1998 e 2002, quando Cassol era prefeito de Rolim de Moura. A ação hoje tramita no STF. 

Já as solicitações do STJ negadas pelas Assembleias somam 15. Em dez desses casos, o processo foi enviado para outras instâncias do Judiciário depois que o governador terminou o mandato ou renunciou. Nas demais cinco situações, o prazo foi suspenso para evitar que os crimes imputados prescrevessem e eles pudessem vir a ser julgado em outras instâncias quando o mandato terminar. 

Seis solicitações não haviam sido enviadas aos deputados estaduais até 2016 –um dos casos foi arquivado neste ano. Outros 36 pedidos do STJ nunca foram respondidos pelas Assembleias. 

No mês passado, mais um pedido foi enviado a deputados estaduais. O Ministério Público Federal acusou o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), de corrupção. O governador nega irregularidades. A Assembleia ainda não analisou o caso. 

Entre os pedidos engavetados nas Assembleias, está o do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), que motivou a mudança no entendimento do STF. 

No ano passado, a Procuradoria-Geral da República denunciou o petista duas vezes por corrupção no âmbito da Operação Acrônimo. Na Assembleia, uma denúncia chegou a ser analisada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), mas não foi levada à votação no plenário. 

Os deputados decidiram aguardar uma ação movida pelo DEM no STF questionando a necessidade de autorização da Assembleia para que Pimentel, com ampla maioria na Casa, fosse processado. 

Foi a partir do julgamento dessa ação que o Supremo acabou com a necessidade de aval das Assembleias, o que terá efeitos sobre casos da Operação Lava Jato. 

Os pedidos de abertura de inquérito enviados ao STJ com base nas delações da Odebrecht abrangem nove governadores. Atualmente, há 13 ações penais contra oito governadores em curso no tribunal –há ainda um processo tramitando em segredo de Justiça.