Compatilhar

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Irmã evangélica despacha bandido para o inferno

Uma invasão a um lar teve um fim abrupto e mortal quando a vítima agarrou o revólver carregado que ela matinha em cima de sua Bíblia — e matou seu agressor com uma bala.
Kay Dickinson da cidade de Wilmington, na Carolina do Norte, EUA, mal tinha virado a chave na fechadura de sua porta da frente para entrar depois de voltar para casa do trabalho tarde na segunda-feira, quando ela foi agarrada por trás e forçada a entrar em seu apartamento por um homem que a estava ameaçando com um revólver.
“Tivemos uma luta corporal, e ele me asfixiou e amordaçou, e deixei cair tudo bem ali no chão da cozinha,” ela disse ao jornal StarNews Online. “Eu estava pensando: ‘Este homem vai me matar.” Pensei mesmo nisso. E quando ele me levou para o quarto pensei: ‘Ele vai me estuprar?’”
Kay Dickinson
O homem amarrou as mãos de Kay atrás das costas dela com um cinto e enrolou um cabo telefônico em volta da boca dela.
“Ele ficava dizendo: ‘Dê-me o dinheiro, dê-me o dinheiro,’” Kay disse para o canal de televisão WCNC-TV.
Enquanto ele estava pilhando o apartamento, Kay deu um jeito de se soltar.
“Soltei-me do cinto. E eu tinha um revólver em cima de uma Bíblia que estava na cabeceira da minha cama. Pulei na cama, agarrei o revólver, me virei e só apertei o gatilho,” disse Kay.
Quando a polícia chegou encontrou o criminoso Willie Franklin Stith III, de 35 anos, estirado no chão perto da porta da frente com um único ferimento de bala no peito.
Willie Franklin Stith
Kay foi levada ao hospital e tratada por pancadas e cortes na sua face e cabeça. Ela também machucou o dedo ao disparar o revólver.
Kay disse ao jornal que sua tribulação durou só alguns minutos e que ela nunca tinha disparado antes o revólver, que ela possuía havia um ano.
“Logo que ele me levou ao quarto de dormir, olhei e vi o revólver ali e pensei: ‘Existe um motivo para esse revólver estar ali,’” ela disse. “Eu só estava esperando que ele não o visse.”
De acordo com os registros da Secretária de Segurança Pública da Carolina do Norte, Stith acumulou mais de doze condenações criminais entre 1998 e 2002.
Linda Rawley, porta-voz da Delegacia de Polícia de Wilmington, disse que nenhuma acusação foi registrada contra Kay.