sábado, 13 de janeiro de 2018

A MORTE DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DO BRASIL

Compartilhe esta postagem!



Corrupção e a população impedem o Brasil de crescer no modelo de transporte ferroviário

O desenvolvimento de um país, em primeiro lugar passa pelo investimento pesado nos modais de transportes e nas vias utilizadas para a circulação.

Em particular, quero destacar nestes poucos parágrafos o modal de transporte ferroviário como o mais barato e o mais potente para o escoamento de riquezas de toda natureza. Isto é fato.

Já na Revolução Industrial (século XVIII e XIX), o transporte ferroviário foi pensado como o meio ideal para o desenvolvimento, e se espalhou por toda Europa distribuindo riquezas e alavancando economias daquele continente. Aqui no Brasil caminhamos na contramão da história mergulhados nos esquemas, nas propinas e na corrupção, que impedem o país de crescer o oferecer dias melhores para sua gente.

Por aqui, estamos a ver nossa economia agonizando por vários motivos, dentre eles, devido ao um esquema hercúleo de priorização do modelo de transporte rodoviário, que é caro e circula por rodovias em péssimas condições. 

Ferrovias possuem significativas vantagens: é o meio de transporte que permite a maior capacidade de transporte de cargas e de passageiros, além de possuir um custo muito menor que as rodovias. Para se ter uma ideia, com um litro de combustível, um caminhão transporta uma tonelada de carga por 25 quilômetros; já no caso da utilização das ferrovias, essa distância passa para 86 quilômetros.

A indústria automobilística, em esquemas com nossos políticos paralisou o desenvolvimento de ferrovias no Brasil desde 1991. Um país de dimensão continental que necessita desse modal de transporte para voltar aos trilhos do desenvolvimento.

Com um povo conivente, que não faz nada para impedir esses políticos corruptos, embora possam fazer, prefere votar neles de novo, sendo cúmplice das desgraças que abatem nosso Brasil.

É uma lástima!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compatilhar