Blog do Edgar Ribeiro: Falha no Facebook compartilhou publicamente 14 milhões de postagens privadas de usuários

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Falha no Facebook compartilhou publicamente 14 milhões de postagens privadas de usuários

Compartilhe esta postagem!



Do The Guardian
O Facebook informou nesta quinta-feira (07) que notificará 14 milhões de usuários de que as postagens enviadas privativamente podem ter sido publicadas publicamente, o mais recente revés da empresa ao tentar reconstruir a confiança do usuário após o escândalo da Cambridge Analytica.

A questão surgiu de um bug que afeta a ferramenta "seletor de audiência" do Facebook, que permite que os usuários decidam se publicam uma postagem apenas para seus amigos ou para um público mais amplo. A ferramenta geralmente permanece na configuração usada mais recentemente, de modo que um usuário que queira apenas compartilhar postagens com amigos não tenha que continuar selecionando essa opção. Mas enquanto o bug estava ativo, de 18 de maio a 27 de maio, a configuração foi alterada automaticamente para pública.

"Corrigimos esse problema e, a partir de hoje, estamos deixando todos os afetados saberem e pedindo a eles que revisem as postagens feitas durante esse período", disse Erin Egan, diretora-chefe de privacidade do Facebook, em um comunicado. "Nós gostaríamos de pedir desculpas por este erro."

empresa diz que notificará os usuários afetados por bug envolvendo sua
ferramenta "seletor de audiência"
O Facebook disse que reverteu as configurações do público para a preferência anterior dos usuários. Ele também mostrará aos usuários afetados uma notificação com uma explicação e um pedido de desculpas e insta-os a revisar todas as postagens feitas durante o período em que o bug estava ativo.

A rápida admissão do erro pela empresa parece ser parte de seus esforços para aumentar a transparência e recuperar a confiança após as revelações da Cambridge Analytica. Na primavera deste ano, o Facebook foi severamente criticado por não informar os usuários cujos dados haviam sido compartilhados de maneira inadequada com a consultoria política até mais de dois anos após o Guardian ter informado pela primeira vez sobre o assunto.

Os dois lapsos de privacidade envolvem tipos muito diferentes de dados, no entanto. Jonathan Albright, diretor de pesquisa do Centro Tow de Jornalismo Digital da Universidade de Columbia, argumentou que as ferramentas de audiência do Facebook, que costumam dar o controle do usuário sobre sua privacidade, deveriam ser consideradas "configurações publicitárias", porque afetam público de informações que um usuário escolhe publicar.

Os dados envolvidos no escândalo da Cambridge Analytica foram as enormes quantidades de informações que o Facebook coleta do comportamento on-line dos usuários - como gostar de postagens ou navegar na Web - para direcioná-las à publicidade.

Deixe seu Comentário Aqui!